Publicidade

economia

Reforma da Previdência é vital, diz Mara Luquet

Jornalista diz que, caso das reformas não sejam aplicadas, o pagamento dos próprios aposentados estará em risco

| ACidadeON/Ribeirao -

Mara Luquet (Foto: Divulgação)
 

Para a jornalista Mar Luquet, a reforma da Previdência tem de ser feita, sob risco de não existir dinheiro para pagar os próprios paosentados. "Em todo mundo se faz a reforma da Precidência, por um motivo muito simples: esse modelo que existe vai colocar em risco o pagamento dos aposentados. SE ele permanecer, existem duas possibilidade, que é matar os aposentados ou começar a ter filhos. Como isso é impossível, temos de repensar o modelo existente, inclusive para acabar com as desigualdades", afirmou. 

Segundo ela, a reforma que hoje é proposta é bastante parecida com aquela que o Partido dos Trabalhadores (PT) propôs na década de 1990, que tinha como principal ideia começar a incidir sobre quem entrasse no mercado de trabalho a partir de 2000. "Isso não foi feito, foram feitas pequenas reformas, que não resolveram o problema. E, se não começarmos a pensar já em mudar o nosso modelo, não vai ter dinheiro para pagar os aposentados, como aconteceu na Grécia", afirmou.  

De acordo com a jornalista, o debate a respeito da reforma da Previdência está muito centralizado em cima de questões ideológicas e pouco sobre informações. "Não há campanha de informação a respeito do que envolve, realmente, a reforma da Previdência e não há lideranças para discutir isso de forma clara, porque não é um assunto popular, ou seja, é mais fácil manter tudo como está", afirmou.  

"Claro que sou a favor da felicidade geral, de trabalhar pouco, de ser mais feliz, só que não há mais dinheiro para garantir isso. Então, acho que temos de ser mais racionais e perceber que essa reforma que está aí contribui, em muito, para acabar com as desigualdades", disse. 

Segundo ela, grande parte das desigualdades a que se refere ocorrem justamente após o brasileiro se aposentar. "Nós temos uma minoria que ganha muito com as aposentadorias e a maior parte do povo brasileiro que recebe salário mínimo, após uma vida de trabalho", concluiu.



Mais notícias


Publicidade