Aguarde...

ACidadeON Ribeirão Preto

Ribeirão Preto
mín. 20ºC máx. 36ºC

Economia

Bolsonaro se equivocou e não haverá aumento de impostos, diz Onyx

Em evento da troca de comando da Aeronáutica, na manhã desta sexta-feira (4), Bolsonaro admitiu que havia assinado um decreto que elevava o IOF

| FOLHAPRESS

Ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)


BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou que o presidente Jair Bolsonaro 'se equivocou' ao dizer que havia sancionado um decreto que elevava a alíquota do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) para compensar incentivos fiscais ao Norte e Nordeste. 

"Ele se equivocou, ele assinou a continuidade do projeto da Sudam e da Sudene", disse Onyx em entrevista coletiva.Em evento da troca de comando da Aeronáutica, na manhã desta sexta-feira (4), Bolsonaro admitiu que havia assinado um decreto que elevava o IOF. 

Horas depois, o secretário especial da Receita, Marcos Cintra, negou a fala do presidente e disse que não haveria aumento de impostos.Segundo Onyx, o presidente se equivocou ao falar sobre o decreto quando, na verdade, tratava da sanção de uma lei.Onyx disse em entrevista coletiva que não haverá aumento de impostos. Segundo Onyx, a informação sobre o estudo que previa o aumento do IOF não deveria "ter vazado".  

O ministro falou sobre a reportagem da Folha que antecipou que o governo estudava o aumento do imposto.Ele admitiu que o assunto estava em discussão até a manhã desta sexta, mas que a decisão final foi não elevar o imposto.O ministro disse que as informações veiculadas eram um ensaio de propostas que vazaram. 

"Paulo Guedes me ensinou que só haverá qualquer alteração no Brasil a partir do momento em que atingirmos o equilíbrio fiscal, fundamental o equilíbrio primário", afirmou.PREVIDÊNCIASobre mudanças na Previdência mencionadas por Bolsonaro, Onyx disse que "quando o presidente fala algum número, e falou 57 [anos, nova idade mínima para mulheres], ele quis dar a tranquilidade para as pessoas de que não vai haver uma ruptura, vai ser uma transição lenta e gradual, preservando o direito das pessoas." 

Segundo Onyx, o que o governo sempre defendeu "com unanimidade foi a questão da capitalização [do sistema previdenciário], algo que remete, mas será diferente, do modelo chileno", afirmou.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Cadastrados

Nome (obrigatório)
Email (obrigatório)
Comentário (obrigatório)
0 comentários