Publicidade

economia

Sem restrições, Abrasel já projeta contratações em Ribeirão Preto

A associação que representa o setor de bares e restaurantes, acredita que 10 mil vagas devem ser abertas na cidade após o fim das restrições anunciado pelo governo de São Paulo

| ACidadeON/Ribeirao -

 

Bares e restaurantes ampliam busca por mão-de-obra em Ribeirão Preto (Foto: Reprodução/Pixabay)

A partir do dia 17 de agosto, o governo de São Paulo vai acabar com as  restrições de funcionamento e de limite de capacidade nos estabelecimentos comerciais e de serviços. A medida anunciada nesta quarta-feira (28),  é uma resposta de otimismo às atividades econômicas, que vem sofrendo desde o ano passado com as regras da quarentena. 

Em Ribeirão Preto um dos setores mais prejudicados pela pandemia é o de bares e restaurantes. A estimativa é que desde 2020, quando foi decretada a pandemia no país, cerca de 20 mil pessoas tenham sido demitidas. Destas, 10 mil já foram recontratadas e as outras vagas devem ser preenchidas agora, à medida que os empresários se sentirem mais seguros para investir.  

A projeção é do empresário Renato Munhoz, presidente regional da Abrasel (Associação Brasileira dos Bares e Restaurantes). "Apesar de ainda não estar com todo movimento, a gente acredita na retomada com 100% dos jovens adultos vacinados. Praticamente todo o meu time de funcionários já está vacinado, isso dá uma segurança maior para todos", explica Renato. 

Segundo ele,  o setor de bares e restaurantes é um dos que mais empregam na cidade. Desta forma, a Associação pretende firmar parcerias, para apoiar cursos profissionalizantes aos jovens visando a inserção deles ao mercado de trabalho que tende a crescer daqui pra frente.  

Para atuar nesta área, o candidato tem que ter vontade de aprender, diz Renato.  As vagas abertas serão divulgadas na página da Abrasel, nos bancos de empregos e entidades comerciais da cidade. "Isso mostra que a vacinação é a única solução para a volta da normalidade, não tem outra solução. Vamos sair dessa, mais fortes do que antes", acrescenta. 

Hábitos de consumo

Renato também comenta sobre a mudança no hábito de consumo. Com o pandemia, obrigatoriamente, os restaurantes passaram a investir em outras alternativas para que seu menu gastronômico, continuasse chegando até os clientes. 

Com isso, a partir de agosto, quando está previsto o fim das restrições e limitação de público, o empresário acredita que uma parcela das pessoas, ainda continuará fazendo pedidos de comidas pelo delivery. 

"A gente vê por exemplo os números do IFood e delivery tendo uma queda gradativa com a abertura do salão, é obvio que não vai voltar os números pré-pandemia, mas teremos perfis de clientes presencial, digital e o que liga para buscar a comida no estabelecimento", conclui Renato. 




Mais notícias


Publicidade