Publicidade

economia

Ribeirão: Reajuste da conta de luz passa a valer nesta sexta

Consumidores residenciais vão sofrer reajuste de 13,93%, de acordo com a CPFL; reajuste foi aprovado pela Aneel

| ACidadeON/Ribeirao -

Fique atento com a conta de energia (Foto: Reprodução/Pixabay)
 
Os reajustes das contas de energia da CPFL Paulista passam a valer em Ribeirão Preto e, em outros 233 municípios do interior de São Paulo, a partir desta sexta-feira (8). O aumento foi aprovado pela diretoria da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), na terça-feira (5). 

LEIA MAIS - Governo anuncia fim da tarifa extra para consumidores de energia
 
Os clientes residenciais vão sofrer reajuste será de 13,93%, já o aumento para consumidores de alta tensão será de 16,42% para a alta tensão. Os consumidores de baixa tensão, como comércio, por exemplo, terão reajuste de 14,24%.  

Segundo a CPFL, o cálculo das tarifas leva em consideração a atualização de custos com a compra de energia (geração), com sistema de transmissão e com a distribuição da energia elétrica (parte gerenciável pela CPFL Paulista), assim como com os encargos setoriais, conforme regras estabelecidas para o setor.  

"Os principais fatores que levaram a esse resultado foram o aumento dos custos que não são gerenciáveis pela distribuidora, principalmente decorrentes da crise hídrica vivida pelo país no segundo semestre de 2021, que exigiu uso de fontes de energia mais caras, como termoelétricas, cujos custos não foram cobertos, além de aumento dos encargos setoriais previstos em lei e repassados diretamente pelas distribuidoras", afirma a CPFL.  

A concessionária afirma que foram considerados aspectos que podem "atenuar" o valor do reajuste, como compartilhamento dos créditos tributários recuperados e pela distribuidora entre março de 2021 e fevereiro de 2022, além da expectativa dos créditos fiscais a serem aproveitados pela CPFL Paulista entre março de 2022 e fevereiro de 2023.  

A CPFL ainda afirma que o valor de aumento fica abaixo da variação da tarifa de energia residencial nos últimos 11 anos, conforme o IGP-M (Índice Geral de Preço - Mercado) no mesmo período.  

Fim da tarifa extra
 
Na última quarta-feira (6), o Governo Federal anunciou o fim da tarifa extra, implantada por conta da escassez hídrica, que está em vigor desde setembro do ano passado. A tarifa gera uma taxa de R$ 14,20 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. A medida entra em vigor a partir do dia 16 de abril.



Publicidade