A uma semana da Black Friday, lojas já oferecem descontos

Lojistas antecipam promoções, de olho na restituição do imposto de renda e na primeira parcela do 13º salário

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Gabriela Virdes e Júlia Fernandes
Matheus Urenha / A Cidade
Lojas do Centro e dos shoppings já começam a oferecer descontos especiais (foto: Matheus Urenha / A Cidade)

 

A Black Friday - tradicional dia de descontos, que neste ano ocorre no dia 24 - abre a temporada de vendas para o final do ano no varejo de Ribeirão Preto. E, faltando uma semana para a campanha, shoppings e lojas de rua já oferecem descontos aos consumidores, de olho na restituição do imposto de renda e a primeira parcela do 13º salário.

Gerente de uma loja de roupas no Centro, Deivid Bernardino, 27 anos, diz que a decisão de antecipar e estender a promoção foi tomada para beneficiar o público. “Não é uma regra entre os lojistas, mas creio que apenas um dia de bons preços não é o suficiente”, afirma.

Leia também: Confira dez dicas para aproveitar a Black Friday

Segundo Paulo César Lopes, presidente do Sincovarp (Sindicato do Comércio Varejista de Ribeirão Preto), muitos consumidores aproveitam este período de ofertas para antecipar suas compras de Natal ou aguardam a ação para comprar um produto desejado. “Por isso, cada estabelecimento cria a sua própria ação, em que alguns já estão com promoções e outros prolongam nos dias seguintes”, explica.

“Outro destaque é a Campanha Show de Prêmios Acirp Sincovarp, que durante o Black Friday sorteará uma moto Honda CG 160 Start para o consumidor, um smartphone para o lojista e um vale-compras de R$ 500 para o vendedor, que pode ser utilizado em qualquer uma das lojas participantes”, finaliza Lopes.

Shoppings

De hoje ao dia 26 de novembro, o Shopping Iguatemi vai trabalhar com descontos que devem chegar a 70% nas lojas participantes. A expectativa é que haja uma alta de 10% no fluxo de clientes, comparado aos dias normais. No dia da Black Friday (24), o shopping funcionará em horário especial, das 8h às 23h.

No RibeirãoShopping, os lojistas também estão animados com a data. “Muitos aumentaram seus estoques para a Black Friday. E, além de atrair o público com as ofertas, os lojistas apostam em atrações que incentivam as compras”, afirma o gerente de marketing Marcos Botelho, que avisa que o centro de compras está preparando uma surpresa para os clientes no dia 24, além do horário especial de atendimento, das 9h às 23h.

Os lojistas do Shopping Santa Úrsula – que funcionará das 9h às 23h - também realizarão boas ofertas. “Além disso, temos uma parceria com o aplicativo Beblue e nos dias 24, 25 e 26 o cashback será especial”, explica a gerente de marketing Simoni Calderaro.
Já o Novo Shopping abrirá às 7h no dia 24, devido à Black Friday. 

Origem da expressão

De acordo com o site oficial do evento (www.blackfriday.com.br), não há uma origem exata sobre a expressão ‘Sexta-feira Negra’ (Black Friday). Há quem diga que nasceu no final do século XIX após duas instituições financeiras terem quebrado no mesmo dia em plena corrida do ouro. Outra teoria é que o termo foi criado por policiais da Filadélfia, na década de 1960, para se referir ao dia após o feriado do Dia de Ação de Graças, em que o trânsito se tornou um caos e os lojistas aproveitaram a oportunidade para fazer promoções e atrair quem passasse por lá. No Brasil, a Black Friday chegou em 2011 e, desde então cresce exponencialmente, batendo recorde de vendas ano a ano.

Arte / A Cidade

 

Análise - Compre bem, mas cuidado com a euforia

Com origem norte-americana, a data que inaugura as compras do Natal se espalhou pelo mundo e, hoje, a Black Friday é aguardada por empresas e consumidores. Preços baixos e promoções tentadoras incentivam as pessoas a comprarem inúmeros itens, fazer uma caça aos preços mais baixos ou aproveitar a chance de comprar aquele produto desejado. Porém, apesar de toda a empolgação, o cliente deve sempre ficar atento aos seus direitos. Observar, pesquisar, verificar e obter as informações sobre o produto que deseja são coisas fundamentais neste período, porque depois de passada a euforia, os problemas podem ser difíceis de resolver. Por isso, antes de qualquer ação, o consumidor deve analisar a verdadeira necessidade de adquirir tal produto. Além de fazer uma compra responsável, tal análise pode livrar o cliente de um possível endividamento. A dica aqui é buscar não comprometer mais que 30% do orçamento seja em uma prestação, parcela ou financiamento. Dori Boucault, Advogado especialista em Direito, do Consumidor e do Fornecedor


0 Comentário(s)

Seja o primeiro a comentar.