Aguarde...

especiais

Em Ribeirão, Bolsonaro garante avanço do diálogo com o Congresso

Presidente exalta bom relacionamento com Rodrigo Maia e diz que a liberação do porte de arma para o produtor rural vai entrar em pauta

| ACidadeON/Ribeirao

 
Na abertura da Agrishow 2019, nesta segunda-feira (29) em Ribeirão Preto, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou que está "fazendo história". Isso porque, de acordo com ele, tem conseguido se aproximar do Congresso Nacional em busca das reformas que o País precisa para melhorar a economia.

Bolsonaro, mais uma vez, foi bastante ovacionado pelos participantes da Agrishow, tanto que tirou selfies e saiu da feira com o corpo para fora do teto solar do veículo oficial, cumprimentando visitantes e expositores. 
 
VEJA MAIS SOBRE A AGRISHOW

Bolsonaro destacou que tem conseguido dialogar com deputados e senadores, além de ter montado um governo que entende a necessidade de se fazer a reforma da Previdência.

"É o começo de governo, só 4 meses, mas nunca tivemos na historia do Brasil um governo, junto com a Câmara, irmanados com os interesses do Brasil", disse o presidente.

Ele ainda destacou as conversas que tem tido com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM). Entre os assuntos tratados com Maia está a liberação da posse de armas para produtores rurais.

De acordo com Bolsonaro, o deputado se comprometeu a colocar a questão para ser votada na próxima semana no Congresso. A medida beneficiária os produtores em eventuais ocupações de terra de movimentos pela reforma agrária.

"A propriedade privada é sagrada e ponto final. Semana que vem, ele [Rodrigo Maia], vai botar em votação que a posse de arma para o produtor rural será permitida para os produtores rurais em todo perímetro nacional", completou o presidente, que mesmo assim, não descartou a reforma agrária.

Crédito

Na Agrishow, Bolsonaro é a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, anunciaram a suplementação de R$ 500 milhões para o Moderfrota, programa de financiamento do governo para compra de maquinas agrícolas. A medida foi cobrada pela organização da feira, já que os créditos se esgotaram no começo de março.

"Depois de muita conversa, nós conseguimos mais R$ 500 milhões para o Moderfrota. É pouco? É pouco, mas vamos fazer o máximo para continuar buscando crédito para o produtor brasileiro", declarou a ministra.

"Eu não quero atrapalhar quem produz. O agronegócio e a agropecuária são setores que têm dado muito certo há muito tempo", disse Bolsonaro, ao declarar apoio aos produtores e elogiar avanços nestas áreas na ditadura militar. 
 


Mais do ACidade ON