Aguarde...

Esportes

Rodas on-line: capoeira aproxima pessoas mesmo na pandemia

No Dia do Capoeirista, professores de Ribeirão Preto e região explicam como projetos têm auxiliado pessoas carentes ou com algum tipo de transtorno mental

| ACidadeON/Ribeirao

Paróquia Jesus Crucificado, em Ribeirão Preto, realiza aulas de capoeira por videochamadas; veja abaixo como participar (Imagem: Reprodução / Redes Sociais)
 
Difundida no Brasil durante o período de escravidão, a capoeira, considerada um símbolo da resistência negra, sempre teve a característica de aproximar pessoas em centros comunitários. Nesta segunda-feira (3), é comemorado o Dia do Capoeirista.

As tradicionais rodas do esporte, que envolvem dança, música e muita "ginga", foram reconhecidas pela Unesco como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, em 2014.

E esses tradicionais encontros, que traduzem o lado social da arte, seguem acontecendo mesmo durante a pandemia do novo coronavírus. Contudo, seguindo as devidas precauções.   

 Por meio da internet, a manifestação cultural brasileira vem se reinventando, trazendo as já conhecidas rodas para o ambiente virtual, com a possibilidade de aproximar e transmitir novos ensinamentos entre mestres e alunos no período de quarentena.

É o que explica Giovana Meloni Tresoldi, instrutora de 27 anos que dá aulas de capoeira na Paróquia Jesus Crucificado, na região Oeste de Ribeirão Preto. Ela, ainda, é uma das responsáveis pelo grupo InterAção, da Associação Pró-Esporte e Cultura (APEC) e também pelas atividades da Associação de Apoio ao Psicótico (AAPSI) - ambas também ribeirão-pretanas. 


CLIQUE E LEIA MAIS NOTÍCIAS SOBRE O ESPORTE EM RIBEIRÃO PRETO E REGIÃO  



"Quando começou a pandemia, achamos que a situação se estabilizaria rapidamente. Na APEC, estamos gravando vídeos com exercícios aos alunos e eles enviam o retorno para nós, duas vezes por semana. E tudo isso está sendo muito positivo. No começo, achamos que não seria, pois os alunos, que possuem algum tipo de transtorno mental, têm muita dificuldade de ficar em casa, parados. Hoje, eles relatam que só estão conseguindo passar por este momento por conta das aulas", explica Giovana.

Já na AAPSI e na Paróquia Jesus Crucificado, segundo a instrutora, as aulas estão sendo realizadas semanalmente através do aplicativo Zoom, com encontros em tempo real.

Ainda de acordo com Giovana, no entanto, houve uma queda no número de alunos devido à pandemia por conta da falta de recursos para o acesso à internet. Atualmente, ela atende 39 pessoas - entre elas crianças, jovens e adultos.

No Dia do Capoeirista, a instrutora que dá aulas há sete também explica como busca traduzir a paixão pelo esporte na hora de ensinar seus alunos.

"Comecei a capoeira como uma forma de tratamento. E minha mãe incentivou eu e minha irmã a aprendermos a nos defender. Na capoeira, o pessoal sempre me ajudou e acabei me achando neste esporte. Hoje, tento conversar muito com os alunos, trazendo palavras de apoio a eles, assim como falar sobre os cuidados básicos durante a quarentena, como ficar em casa e se higienizar. Tentamos, sempre, atendê-los da melhor forma possível", afirma.

Todos os projetos são gratuitos e estão com inscrições abertas. Informações sobre matrículas podem ser obtidas através do seguinte número: (16) 99296-6038 (Giovana). Já as atividades podem ser acompanhadas nas redes sociais.


Região

Em Orlândia, cidade que fica a 56 quilômetros de Ribeirão Preto, outro projeto também continua levando aprendizagem através da capoeira durante a quarentena.

Liderado pelo contramestre Toinzinho, 35, o Grupo Terra Preta Capoeira realiza rodas on-line pelo aplicativo Zoom em três dias da semana.

Os mais de 30 alunos que fazem parte do projeto, ainda, têm acesso a videoaulas que são disponibilizados pelo capoeirista (veja abaixo como assistir).

"Antes da pandemia, as aulas eram realizadas em três centros aqui em Orlândia. Agora, a capoeira está sendo um escape e uma solução para as mães, cujos filhos não estão podendo sair de casa por conta da pandemia. Elas [mães], neste momento, já estão relatando uma influência direta da capoeira no comportamento das crianças, que ficam mais concentradas e são estimulados a se exercitarem", afirma Toinzinho.   

Grupo Terra Preta Capoeira, de Orlândia, durante aula por videochamada (Imagem: Reprodução / Redes Sociais)
 
O contramestre ainda explica que as rodas on-line seguem o mesmo padrão das que realizadas presencialmente, com aulas de música, movimentação e instrumentos.

"Quem não consegue assistir às aulas ao vivo, acaba vendo os vídeos no Youtube e, posteriormente, envia a devolutiva treinando. Hoje, temos pais, avós e filhos participando das atividades. [...] Posso dizer que, nestes 27 anos de esporte, a capoeira deu tudo o que eu tenho. Ela me representa e eu tento representá-la da melhor forma possível. Cada aluno meu é uma fonte de inspiração", diz Toinzinho.

Os vídeos das aulas podem ser assistidos pelo YouTube. As inscrições do projeto são gratuitas e devem ser feitas pelo seguinte número: (16) 99106-4751 (Contramestre Toinzinho).    
 
 

 

Serviço
 

Projetos de capoeira em Ribeirão Preto: Paróquia Jesus Crucificado, InterAção, da Associação Pró-Esporte e Cultura (APEC) e Associação de Apoio ao Psicótico (AAPSI)  
 
Valor de inscrição: gratuito

Informações: (16) 99296-6038 (Giovana) e redes sociais  

Projeto de capoeira em Orlândia:
Grupo Terra Preta Capoeira  
 
Valor de inscrição: gratuito

Informações: (16) 99106-4751 (Contramestre Toinzinho) e redes sociais

Mais do ACidade ON