Aguarde...

Esportes

Em busca do título: Ribeirão-pretano detalha volta da NBA

Chefe da preparação física do Denver Nuggets, Felipe Eichenberger está isolado no complexo esportivo da Disney há um mês e sonha com a conquista inédita

| ACidadeON/Ribeirao

Ribeirão-pretano é formado em educação física e jogou basquete universitário nos EUA (Foto: Divulgação / Redes Sociais)
  
Nascido em Ribeirão Preto, Felipe Eichenberger, chefe da preparação física do Denver Nuggets, está vivendo uma rotina jamais antes vista na NBA. Tudo isso, inclusive, com a chance de se tornar campeão da principal liga de basquete do mundo.

Atualmente, o profissional de 34 anos está isolado com os melhores nomes do basquete mundial, em um complexo esportivo da Disney, em Orlando (EUA), montado especialmente pela liga norte-americana para o restante da temporada 2019/2020.

A "bolha", local onde os times cumprem o isolamento, tem papel fundamental para a retomada de sua franquia: atua na recuperação do condicionamento físico dos atletas, que voltaram às quadras na última semana após quatro meses de paralisação dos jogos devido à pandemia do novo coronavírus.   

 
CLIQUE E LEIA MAIS NOTÍCIAS SOBRE ESPORTE 



Em entrevista ao portal ACidade ON, Eichenberger explicou como está sendo a estadia em Orlando, com a realização de testes diários da covid-19, além dos desafios no retorno aos jogos.  
 
Ele está na bolha há um mês e, até o momento, não sabe quando poderá receber visitas de familiares.

"Está tudo indo bem, apesar de estarmos longe da família. No começo, foi difícil, porque era uma coisa nova e ninguém estava acostumado a lidar com os times todos juntos. Antes, um centro de treinamento nosso havia sido aberto, mas acabou sendo fechado e nós viemos para cá [Orlando]. Contando tudo [semana de testes sorológicos e de preparação], tivemos umas cinco semanas antes de entrar em quadra, o que está longe do ideal, que seria de oito a dez semanas para deixar os atletas na forma física similar ao que tínhamos antes da paralisação [em março]", disse Eichenberger.

"Estamos treinando diariamente, sempre estando em contato com os jogadores. Os centros de treinamento formados aqui são muito bons. Temos até quadras dentro do hotel, além de outras que ficam há dez minutos de carro. Todo os dias estamos sendo testados para o novo coronavírus. À noite, antes dos jogos, acompanhamos os jogadores e cuidamos da parte física deles", completou.   
 

Temporada promissora  

A franquia de Denver, no Colorado, é a terceira colocada da Conferência Oeste e já tem vaga garantida aos playoffs (mata-mata) da NBA. Nos dois primeiros jogos após o reinício da liga, a equipe conquistou uma vitória.

"As duas partidas até aqui foram boas para vermos as condições que os jogadores estavam. A avaliação física dos atletas nestes dois primeiros jogos é a de que eles estavam bem fisicamente. O objetivo é chegar sem lesões para os playoffs. Agora, temos mais seis jogos para chegar em melhor forma ao mata-mata", ressaltou o preparador físico ribeirão-pretano.  
 
 
Eichenberger durante treinamento com Nicola Jokic, um dos destaques da NBA (Foto: Divulgação / Redes Sociais)
 
O ribeirão-pretano está à frente da preparação física dos Nuggets há quase dez anos. Nesta temporada, tendo no elenco um dos destaques da NBA, o sérvio Nicola Jokic, Felipe Eichenberg sonha em garantir o campeonato inédito à franquia de Denver.

"Os Nuggets têm como ponto mais forte o coletivo. A expectativa para este ano é ganhar o campeonato. Temos uma equipe jovem e com muita expectativa. Muitos não acreditam, mas nós temos um grupo forte. Acho que, com o coletivo, temos as chances de chegar ao título", declarou.

O preparador ainda explica que, devido à paralisação, atletas de todas as franquias voltaram a competir no mesmo nível físico. Ele, ainda, afirma que os jogos sem a presença de torcida, uma das exigências no complexo da Disney, contribuem para o equilíbrio no retorno.

"Ocorre o nivelamento físico porque todo mundo não estava treinando no nível que a NBA exige. Eles [atletas] estavam malhando em casa, mas não no nível da liga. Agora, com a volta, nivela a condição física. E outra: jogar sem público nos ginásios é bem diferente. A liga está fazendo um trabalho muito bom de colocar efeitos sonoros de torcedores nas quadras, mas é um ambiente muito incomum, o que contribui para o nivelamento da competição", afirmou.

Além do preparador físico de Ribeirão Preto, somente outros três brasileiros estão na bolha da liga norte-americana. São eles: Bruno Caboclo, ala do Houston Rockets; Raulzinho, armador do Philadelphia 76ers; Tiago Splitter, assistente técnico do Brooklyn Nets.


A volta

Para a retomada da competição, a NBA optou por dar "férias" às equipes que não tinham chances matemáticas de se classificar aos playoffs antes da paralisação da liga.

Desta forma, de 30 franquias, apenas 22 estão na Disney disputando a fase regular, cujo encerramento está previsto para 14 de agosto. Três dias depois, de acordo com o calendário divulgado, deve ocorrer o início dos playoffs.

A liga também prevê que as finais da temporada comecem por volta de 30 de setembro, com a realização da sétima e última partida até 13 de outubro.

Mais do ACidade ON