Dirigentes pedem reformulação a partir da base após novo vexame

Nos últimos anos, poucas promessas deixaram o Palma Travassos para figurar em grandes clubes

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Correa Jr
F.L.PITON / A CIDADE - 09.JUN.2015
Estevão, hoje no Fluminense, foi a última revelação vendida (foto: F.L.PITON / A CIDADE - 09.JUN.2015)

 

Rebaixado à Segunda Divisão, equivalente à quarta e última série do Estado, o Comercial vive uma crise na revelação de talentos. Muitos foram os jogadores que começaram nas categorias de base do clube e alçaram voos altos na carreira. Mas, nos últimos anos, poucas promessas deixaram o Palma Travassos para figurar em grandes clubes. O último deles foi o atacante Estevão, negociado com as categorias de base do Fluminense em março de 2016.

De acordo com o presidente do Conselho Deliberativo do Leão, David Isaac, a reestruturação do clube passa pelo investimento na formação de jogadores. “Temos que pensar em fazer jogador, não fazemos negócio [com atletas da base] há um ano. Os últimos foram o Igor Carioca [negociado com o Asteras Trípolis, da Grécia] e o Estevão. Não adianta achar que o clube vai viver de sócio torcedor e da renda dos jogos”, explicou.

Para Rangel Scandiuzzi, presidente do Comercial entre os anos de 2010 e 2011, chegou a hora de repensar a forma de gerir o clube. “É preciso elaborar um projeto para que o Comercial volte de uma forma mais consistente. Futebol é negócio e deve ser gerido assim, acabou a fase dos mecenas”, analisou. 


1 Comentário(s)

Comentário

Divaldo Antonio de Oliveira

Publicado:

Pois é, a asneira que começa na escolha de péssimos diretores termina como se vê, na venda de promessas da base antes que possam ser profissionalizados no clube. Sou botafoguense, mas antes de tudo ribeirão pretano, fico irritado ao ver que jogaram no lixo uma tradição de décadas por pura falta de responsabilidade e competência. Que verdadeiros comercialinos assumam os destinos do clube e lhe devolvam a dignidade.