Aguarde...

ACidadeON

Voltar

Lazer e Cultura

Viúva de Juliano Cezar conta como era relação com o artista

O cantor sertanejo Juliano Cezar morreu no dia 30 de dezembro, durante uma apresentação; ele tinha 58 anos

| ACidadeON/Ribeirao

Juliano Cezar morreu aos 58 anos de idade (Foto: Divulgação)
 
A economista Andreia Mendes Costa, viúva do cantor sertanejo Juliano Cezar, disse que ainda tem momentos pelos quais espera pelo retorno do artista para casa. Andreia foi casada por 27 anos com o cantor, que morreu no dia 30 de dezembro, durante uma apresentação em Uniflor, no interior do Paraná, aos 58 anos.  

CLIQUE AQUI E LEIA MAIS NOTÍCIAS DE CULTURA EM RIBEIRÃO PRETO  

Juliano Cezar era nascido em Passos-MG, mas vivia em Ribeirão Preto. Na entrevista concedida para a EPTV, Andreia afirma que via o companheiro como muito mais do que um marido. "Muito ligados. Eu cuidava dele e ele também cuidava muito de mim. Ele era o meu marido, o meu pai o meu irmão. Era tudo. Ele ainda é tudo para mim", disse.  

Andreia revela que a última conversa do casal foi uma declaração de amor de Juliano Cezar para ela. "Ele disse por meio de mensagem: Estou indo para o show. Eu te amo. Eu falei: vai com Deus", comenta.  

Para a economista, ainda está sendo difícil superar a morte do companheiro. "Hoje, eu ainda espero que ele vai voltar. Ontem, tocou o meu telefone e eu achei que fosse ele. Meu coração disparou. Tem dia que eu choro muito. Hoje eu não chorei, mas tem dia que eu choro demais. É difícil. Vai ser difícil, porque nosso amor era muito grande", relata.  

Dia a dia
 
Andreia conta que no dia a dia, Juliano Cezar era uma pessoa que gostava de ficar em casa cuidando dos cinco cachorros criados pelo casal. "Ele gostava muito de animal. Ele gostava de ficar quieto. Pessoa super simples", relembra.  

Tanto, que de acordo com ela, o artista não tinha muita distinção para dinheiro. "Dinheiro ele não ligava. Ele fazia shows. Ele queria cantar", comenta a viúva. Andreia recorda que semanas antes de morrer, Juliano Cezar havia participado de shows beneficentes, como uma apresentação para pacientes do Hospital das Clínicas e para crianças carentes em Franca.  

"Ele me disse: Andreia, me ligou uma pessoa pedindo para fazer um show para crianças carentes. E ele falou: estou muito cansado. Na hora que ele voltou, ele disse: Andreia, foi a melhor experiência da minha vida", recorda.  

Na opinião de Andreia, esses momentos demonstram que o artista estava se preparando para se despedir.  

"Eu comecei a refletir, eu percebi que ele estava se despedindo. Ele estava muito saudosista. No show de Franca, ele levou a mãe dele, que tem 83 anos. Então, comecei a pensar que ele já estava. Ele mandou inúmeras mensagens para pessoas que ele não falava há muitos anos. Eu peguei o celular dele, olhando. Então, eu acredito que foi a hora de Deus chamá-lo", afirma.  

Esportista
 
Segundo Andreia, Juliano Cezar cuidava bastante da saúde, tanto que ia com frequência se consultar com médicos e, também, realizava atividades físicas, como lutar boxe e frequentar a academia.  

"Não sabia desse risco. Não dava para entender. Ele morreu cantando, que era o jeito que ele queria", afirma. Segundo ela, o artista já tinha manifestado o desejo de partir fazendo o que mais gostava, que era cantar. "Uma fã me mandou no Instagram uma reportagem que ele falou qual que era o sonho dele. Ele falou que era morrer cantando", disse.  

Músicas inéditas
 
Andreia revela que Juliano Cezar deixou duas músicas gravadas, que ainda não foram lançadas. "Mudança" é uma parceria com o cantor sertanejo Sérgio Reis, um dos ídolos do artista. "Foi a realização do sonho dele", comenta a economista. "Ele estava muito feliz. Muito feliz", completa.  

A outra canção interpretada por ele, ainda não lançada, é "Adeus", da consagrada dupla Milionário e José Rico. "Eu falei: Juliano, é impressionante. Ele cantou com a alma. Ele cantou muito. Eu acho que é a música de despedida dele", finaliza (com EPTV).  

Leia mais:
Morre cantor sertanejo Juliano Cezar




Mais do ACidade ON