Publicidade

lazerecultura

Reforma e ampliação da Casa da Cultura tem custo de R$ 4,3 milhões

Prefeitura de Ribeirão Preto está com licitação aberta; Valor inclui a Fábrica de Cultura 4.0, programa do Governo de São Paulo

| ACidadeON/Ribeirao -

 

Casa da Cultura vai passar por reforma (Imagem: Prefeitura de Ribeirão Preto)
A Casa da Cultura, sede da Secretaria da Cultura e Turismo de Ribeirão Preto, vai passar por um processo de reforma e ampliação estimado em R$ 4.325.673,84. No local, que fica no Morro do São Bento, será implantado o programa Fábrica de Cultura 4.0, do Governo de São Paulo. 
 
Em janeiro de 2022, o então governador João Doria (PSDB), liberou R$ 5 milhões para viabilizar a Fábrica de Ribeirão Preto. O custeio anual está estimado em R$ 9,6 milhões. "Serão 105 cursos ministrados, com 2.670 vagas e 850 atividades de difusão, para um público estimado em 140 mil pessoas", informou a Prefeitura. 
 
A licitação para escolher a empresa responsável pela obra foi aberta em abril e tem prevista abertura dos das propostas no dia 26 de maio. A estimativa é que a obra demora 8 meses a partir da ordem de serviço. Inicialmente, a expectativa que a Fábrica entrasse em funcionamento em julho. No entanto, a inauguração deve ocorrer apenas no primeiro semestre de 2023. 
 
 
Projeto da reforma e ampliação da Casa da Cultura (Imagem: Prefeitura de Ribeirão Preto)

Fábrica de Cultura

Em 11 anos, as 12 unidades das Fábricas de Cultura em funcionamento no Estado atenderam 12,5 milhões de pessoas e formaram 359.225 mil aprendizes, por meio das 38.995 mil ações de difusão e cursos realizados. O projeto, focado na formação, produção e difusão cultural e destinado para jovens em situação de vulnerabilidade social de 14 a 24 anos, tem 9 unidades em comunidades da capital, uma em Diadema e outra em São Bernardo do Campo, a primeira na modalidade 4.0.

Na versão 4.0, as unidades focam em tecnologia, inovação e criatividade, com cursos de audiovisual, artes visuais, dança, circo, design, drones, games, literatura, moda, música, programação e robótica. As novas Fábricas de Cultura 4.0 contam com espaço maker, coworking, bibliotech, estúdios profissionais, auditório e espaço multiuso.
  

Publicidade