Alunos da ALMA transitam entre a comédia e a tragédia em ópera em Ribeirão

'Judas em Sábado de Aleluia' será apresentado nesta quinta-feira (5) no Theatro Pedro II

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Da reportagem
Matheus Urenha / A Cidade
Alunos da Academia Livre de Música e Artes em prova de figurinos: interação e 'prova de fogo' (Foto: Matheus Urenha / A Cidade)

 

A Academia Livre de Música e Artes (ALMA), de Ribeirão Preto, vai da comédia à tragédia em sua nova produção, “Judas em Sábado de Aleluia”, que apresenta na noite desta quinta-feira (5), no Theatro Pedro II.

Trata-se de uma ópera em apenas um ato, que se passa em um espaço cênico único: a sala da casa de Cabo Pimenta, Maricota e Chiquinha. Na trama, o soldado Faustino foge de seu capitão por não querer entrar em um esquema de propinas. Quando se disfarça de Judas, descobre que todos traem - até sua namorada.

Qualquer semelhança com realidades brasileiras é mais do que mera coincidência, mas uma prova de que a humanidade mudou pouco em quase 200 anos, já que a montagem foi baseada no texto homônimo de Martins Pena, escrito no século 19. “A ópera tem questões que zombam de determinados estereótipos brasileiros, que é muito atual mesmo sendo daquela época. Não é política, mas traz uma dimensão crítica do caráter nacional, fazendo chacota ao falar de corrupção e outros assuntos muito discutidos hoje”, explica o diretor artístico e pedagógico da ALMA, Lucas Galon.

Juntamente com o ator e diretor José Maurício Cagno (coordenador teatral da Academia) e o maestro José Gustavo Julião de Camargo (professor da faculdade de música da USP), Galon desenvolveu a montagem a partir do libreto [roteiro com as falas e canções do espetáculo] original, da década de 1840.

A ideia para a ópera surgiu em 2009, com o objetivo de promover a interação entre os vários núcleos da ALMA em uma produção inédita e para franquear aos alunos as diversas “possibilidades artísticas” do formato. “O compromisso de uma ópera é de exigência muito grande. São vários ensaios e um cronograma de quase seis meses de ocorrência. Isso é uma forma dos adolescentes aprenderem outras questões para além da artística, vinculadas à responsabilidade e à paixão”, comenta Galon. (Giovanna Romero, sob supervisão de Silvia Pereira)

Todos envolvidos

Não só os alunos participam da montagem. “Em ‘Judas em Sábado de Aleluia,’ a produção é feita pelos professores e alunos da Academia, algo que é muito raro no país. No final, tudo está ligado a um aspecto pedagógico e de interação”, acrescenta o diretor.

Ao todo, são 50 artistas - entre professores, agregados e alunos – envolvidos em todos os aspectos da montagem, inclusive figurino, cenografia, maquiagem e roteiro.

Para Galon, esse contato maior dos jovens é um grande e necessário desafio, para que descubram se é isso mesmo o que querem fazer. “É uma boa peneira, um teste de fogo da nossa escola, no qual eles aprendem muita coisa”, conclui.

Serviço
‘Judas em Sábado de Aleluia – uma opereta bem brasileira ou o caráter nacional’

QUANDO: Nesta quinta-feira (5), às 20h
ONDE: Theatro Pedro II (Rua Álvares Cabral, 370)
QUANTO: R$ 10 (meia) e R$ 20 (inteira)
INF.: (16) 3977-8111


0 Comentário(s)

Seja o primeiro a comentar.