Aguarde...

vidaeestilo

Arraial DAjuda, Porto Seguro e Trancoso: Mar, história e agito

Trio de cidades da Rota do Descobrimento, reserva monumentos dos primórdios do Brasil, cultura indígena, praias e baladas para turistas de todas as partes do mundo

| ACidadeON/Ribeirao


 

Crianças com traços indígenas e cocares vendendo artesanato na praia logo revelam que o destino oferece muito além de mar e ainda conta grande parte da história do Brasil. Porto Seguro e as vizinhas Arraial DAjuda e Trancoso compõem a tríade mais visitada da Rota do Descobrimento, no Sul da Bahia.  

Um dos roteiros com o melhor custo do Nordeste, Porto Seguro é muito conhecido pelas festas, que ocorrem o ano inteiro nas cabanas de praia, como Tôa Tôa, Axé Moi ou Barramares, e seguem noite adentro.  

Mas nem só de baladas vive a cidade. Passeios de barco, mergulhos para apreciar a vida marinha, a experiência de conhecer uma comunidade indígena e a saborosa gastronomia baiana estão entre os atrativos.
O Centro Histórico, no alto do morro, é conhecido como Cidade Alta e preserva o patrimônio dos primórdios do país.  

No Memorial da Epopeia do Descobrimento, situado na praia do Cruzeiro, pode-se assistir a uma encenação que lembra a expedição de Pedro Álvares Cabral - o navegador que avistou a nova terra, em 22 de abril de 1500  - e conferir a réplica de uma das embarcações da época.  

Em Coroa vermelha, alguns quilômetros à frente está a Avenida Beira Mar, que concentra a maioria dos hotéis e barracas badaladas, além do único resort all inclusive de Porto Seguro, o La Torre. Por ela chega-se ao ponto onde foi celebrada a primeira missa no Brasil. Há várias lojinhas de artesanato no entorno.  

E para completar o roteiro histórico e cultural, o ideal é visitar a Reserva Pataxó da Jaqueira e conhecer de perto alguns costumes dos pataxós. Dá para entrar em uma oca, apreciar danças indígenas e até experimentar um peixe assado na folha de patioba.

Vizinhas  

Já em Arraial DAjuda tem o charme das ruas de paralelepípedos, e Trancoso o charmoso "Quadrado", ainda em chão de terra todas opções que agradam de jovens a pessoas da terceira idade.  

Do outro lado da balsa  

O charme de Arraial dAjuda: nas pousadas, rua do Mucugê e barracas de praia
 

A 5 km de balsa de Porto Seguro está o charmoso distrito de Arraial dAjuda, com inúmeras pousadas aconchegantes e graciosas, como a Maria Pitanga, com sua decoração rústica, que contém redes e lounge com mini biblioteca. Também há um resort e um parque aquático.  

Arraial é perfeito para quem deseja belas praias, com barracas bem estruturadas e o charme da Rua do Mucugê, com suas lojas, restaurantes e bares para passear no final da tarde e à noite - a partir de determinado horário, a rua fica fechada para carros.  

É uma delícia andar apreciando as lojinhas de artesanato ou de marcas conhecidas, sentar-se em um café ou bistrô para degustar um prato e ver a vida passar no ritmo local. Ainda tem o Beco das Cores, uma viela que cruza a Mucugê e tem até um teatro/cinema. Duas praias precisam ser visitadas: a do Parracho e a Pitinga.  

Com estacionamento, a cabana Uiki, na Parracho, é uma graça, com sua decoração montada em um barco de pescador, mesinhas com sofá e casinhas coloridas no entorno. Também oferece um saboroso cardápio e boa música ao vivo. Nos horários de maré baixa formam-se piscinas naturais. Pode-se praticar stand up paddle ou andar de caiaque, que são alugados na própria praia.  

Um pouco mais à frente fica a praia Pitinga, com suas belas falésias e a agradável Cabana Grande.
Já para quem quer uma praia mais deserta vale andar mais 15 minutos de carro para chegar a Taípe ou ainda à Rio da Barra, mais exclusiva.  

Mirante  

Depois da praia, vale conhecer também o Mirante de Arraial, que fica bem atrás da Igreja de Nossa Senhora dAjuda, que guarda a imagem da Santa trazida de Portugal pelos jesuítas, em 1945.  

Do mirante, que é marcado pelo colorido das fitinhas da Santa amarradas no alambrado, tem-se um belíssimo visual das praias e do coqueiral. Depois, não há como não se render ao artesanato local, vendido nas várias lojinhas montadas no casario colorido que circunda a igreja e a praça.    


 
Trancoso é ideal para quem busca sossego e lindas praias 

Praias com paisagens paradisíacas, ruas de terra, o badalado Quadrado e um sossego singular definem Trancoso, a 77 km de Porto Seguro. Não é a toa que a vila conquistou fama internacional. Descolada, une charme e rusticidade.  

O distrito foi fundado pelos jesuítas no início da colonização portuguesa e descoberto pelos hippies nos anos 1970. De lá para cá, foi ganhando admiradores, que se hospedam no resort ou nas pousadas, algumas luxuosas, como a Estrela DÁgua, que une conforto e exclusividade, na Praia dos Nativos, a 600 metros do Quadrado, o ponto mais famoso da vila.  

É no Quadrado, grande praça rodeada por casinhas coloridas que, abrigam restaurantes, bares, ateliês, lojas de artesanato e de grifes, que tudo acontece em Trancoso, principalmente à noite. A praça histórica com chão de terra e grama sempre aparada foi tombada pelo Patrimônio Histórico. Fica no alto de uma falésia, permitindo uma vista deslumbrante do mar, logo após a Igreja de São João de Trancoso, erguida em 1656.   

E as praias da vila são belíssimas. Pertinho do Quadrado ficam as dos Nativos e dos Coqueiros, esta última considerada a principal de Trancoso, que conta com beach clubs e barracas.  

Para quem privilegia sossego, a 15 minutos do centrinho está a praia Rio Verde, com espreguiçadeiras nas barracas. Os surfistas se concentram na Itaquena.  

Para fechar o roteiro de praias, a 20 km do Quadrado está a famosa Praia do Espelho, considerada uma das mais belas da Bahia. Sua água cristalina, o coqueiral e as falésias criam um cenário exuberante. Mas é preciso estar preparado para encarar os 18 km de estrada de terra - nem sempre em boas condições.- que lhe dão acesso. 

Mergulho com snorkel permite apreciar espécies marinhas  

A 50 minutos de escuna da costa de Porto Seguro fica o Parque Marinho do Recife de Fora, com 6,5 mil m², considerado a terceira maior formação de recifes de corais do Brasil. No ponto de parada, pode-se descer do barco nadando ou em pequenos botes para se chegar ao ponto de mergulho com snorkel, as piscinas naturais.  

Na maré baixa é possível contemplar várias espécies marinhas, como peixes, moluscos, estrelas do mar, algas e, com um pouco de sorte, até tartarugas. Por ser uma área de preservação apenas 3% do parque pode ser visitado e só são permitidas 400 pessoas por dia. Os turistas seguem a trilha marcada por estacas e indicada pelo guia, que explica as espécies e os cuidados.  

Para os mais aventureiros ou que desejam ter um visual mais profundo do mar, há opções de mergulho com cilindro, que são acompanhados de instrutores certificados. O passeio também parte do píer municipal, mas o tempo de navegação é um pouco maior, cerca de 1 hora e meia, e a profundidade vai de 6 a 20 metros.  

E se for ao destino entre os meses de julho e novembro, ainda pode fazer o passeio de observação das baleias Jubarte, que migram da Antártica para a Costa da Bahia em busca de águas mornas para se reproduzirem. Em alto mar é possível avistá-las e ainda escutar o seu canto.

Mais do ACidade ON