Cinco dicas para usar o penhor da melhor forma

O planejador financeiro Leonardo Facchini e o professor de economia Matheus Silveira Franco alertam para os cuidados do penhor

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Gabriel Pereira
ColiN00B/Pixabay

 

Análise - A primeira dica é avaliar como está a situação, como está a posição das dívidas e dos bens, se a renda está sendo suficiente para pagar as despesas e quais os planos para o futuro. Esse é o primeiro passo para a saúde financeira da família.

Estabeleça prioridades - Em seguida, é importante então avaliar se existe a real necessidade de fazer o empréstimo e o que será feito com o dinheiro. Um bom uso para o dinheiro do penhor é a liquidação das dívidas mais caras, ou seja, conseguir pagar uma taxa de juros mais baixa.

Fluxo de caixa - Feito o penhor, é muito importante que seja realizado um planejamento do fluxo de caixa, ou seja, ter certeza de que os compromissos serão cumpridos. Afinal, se houver atraso nos pagamentos, o bem será perdido.

Penhor cresce como alternativa de crédito

Só o necessário - Pegue apenas o valor do empréstimo que você precisa, mesmo que o seu bem de valor permita um empréstimo mais alto. O maior erro é pegar dinheiro extra, pois no futuro próximo as prestações mais altas podem comprometer o seu orçamento.

Corte gastos - A hora de reeducar-se é agora. Lembre-se sempre: evite o consumo imediato e só assim conquistará a sua independência financeira. Do contrário, necessitará sempre de empréstimos e pagará juros.


 


0 Comentário(s)

Seja o primeiro a comentar.