Wagner Rodrigues revela ter recebido R$ 50 mil no Centro de Ribeirão Preto

Em delação premiada, ex-presidente do Sindicato dos Servidores falou sobre reunião que definiria esquema de propina

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Da reportagem
Reprodução EPTV
Wagner Rodrigues explicou em delação que o pagamento foi feito por Sandro Rovani da Silveira Neto, ex-advogado do Sindicato dos Servidores Municipais; clique para assistir vídeo (Foto: Reprodução / EPTV)
 
 
 
O ex-presidente do Sindicato dos Servidores, Wagner Rodrigues, revelou em delação premiada que recebeu a primeira parcela da propina, no valor de R$ 50 mil, no Centro de Ribeirão Preto.

VEJA VÍDEO

Durante o depoimento, que durou cinco horas, Wagner explicou que o pagamento foi feito por Sandro Rovani da Silveira Neto, ex-advogado do Sindicato dos Servidores Municipais.

O ex-presidente do sindicato também explicou que a reunião que definiu como seria o esquema da propina foi realizada em março de 2012 no escritório do advogado André Hentz. Na reunião, que também estava a advogada Maria Zuely Librandi e Sandro, foi apresentada uma tabela que seria a divisão da propina.

"A Zuely apresentou a tabela e questionou o Hentz, porque ela não achava justo. [...] Ela achava que ele não tinha feito nenhum trabalho para receber aquele dinheiro", afirma Wagner.

LEIA MAIS
Investigados na Operação Sevandija amargam reclusão e bolso vazio
Wagner Rodrigues perde presidência do Sindicato dos Servidores de Ribeirão
Em carta, Wagner Rodrigues se diz 'arrependido'
O efeito dominó da Operação Sevandija em Ribeirão Preto
De líder sindical forte e destemido à clausura
Wagner confirma rateio de propina para Dárcy

No depoimento, Wagner também comentou que Maria Zuely Librandi reclamava de Dárcy Vera pois ela sempre pedia dinheiro e até tinha um código para receber a propina. "Reclamou para mim 'Essa mulher pede dinheiro toda hora. [...] Tive que ir lá sacar dinheiro para ela'. Ela (Dárcy) falava 'Depois você sobe', como se fosse um código".

Outro lado

Wagner Rodrigues está no Programa de Proteção à Testemunha da Justiça. A advogada de Dárcy Vera, Maria Cláudia Seixas, informou que toda delação precisa ser acompanhada de provas e que a ex-prefeita nega envolvimento no esquema.

A defesa de André Hentz disse que Wagner Rodrigues mentiu e que André provará sua inocência. A EPTV tentou entrar em contato com o advogado de Marco Antonio dos Santos, porém não conseguiu falar com a defesa. (Com EPTV)


1 Comentário(s)

Comentário

Divaldo Antonio de Oliveira

Publicado:

Se a Darcy é inocente então é melhor rever a prisão do Marcola. Agora o que impressiona é que quando o Sindicato era cúmplice e participe dos assaltos ao erário, não havia movimento grevista. Agora o efeito manada azucrina a população com um bando de desocupados reivindicando o que não merecem.