Aguarde...

Esse ano votaremos nos

Eleições

Abstenção é maior que votação de Duarte Nogueira

Mais de 157 mil eleitores deixaram de comparecer às urnas no 2º turno, o que representa 10% mais que no 1º turno; juiz cita pandemia como causa

| ACidadeON/Ribeirao


Abstenção sobe no 2º turno em Ribeirão Preto (Foto: Elza Fiúza / ABr)

Ribeirão Preto registrou alta de 10% no número abstenções do pleito municipal neste domingo (29) em relação ao 1º turno das Eleições 2020. 

Dos 441.845 eleitores convocados ao 2º turno, 157.340 (35,6%) deixaram de comparecer às urnas, segundo o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) - o número é maior que a votação que elegeu Duarte Nogueira (PSDB), na disputa com a candidata Suely Vilela (PSB). (leia mais abaixo)

A abstenção supera a taxa registrada em 15 de novembro, quando 143.337 eleitores se abstiveram do processo eleitoral, o que representou 32,44%.

VEJA TAMBÉM: Nogueira cita ajustes, mas descarta aumento de impostos

Possíveis causas  

O juiz eleitoral Sylvio Ribeiro, da 305ª Zona Eleitoral, acredita que a pandemia de covid-19 possa ter sido o principal fator que tenha provocado o recorde de abstenções em Ribeirão.

O magistrado, contudo, também cita uma "desmotivação" de eleitores que votaram em candidatos que não passaram para o 2º turno.

"Desde o início, o TSE [Tribunal Superior Eleitoral] se preocupou muito com a pandemia. Por isso, as eleições, antes previstas para outubro, conforme diz a Constituição, foram alteradas para novembro. Essa foi a primeira providência. Fora isso, os mesários receberam todos os equipamentos adequados para a proteção, e os eleitores foram orientados a utilizar sempre a máscara, assim como o álcool em gel na hora de votar e manter o distanciamento nas filas", explicou.

O juiz, porém, não crê que as abstenções possam crescer nos próximos pleitos municipais da cidade.  

"Acho que esse momento específico, um 2020 diferente para tudo e para todos, acabou inserindo as eleições nesse contexto. Passando por isso, com o surgimento da vacina, a tendência é que o eleitor participe mais ativamente do processo eleitoral", afirmou.

Ele ainda destacou a confiabilidade eleitoral, mencionando a falta de registro de crimes durante o processo.

"Tudo ocorreu bem. Não tivemos nenhum incidente grave ou registrado em termos de flagrância. Tivemos uma das urnas de Ribeirão Preto sorteada para passar por auditoria, e os fiscais constataram a regularidade do equipamento. Ao longo do dia, recebemos a notícia da quebra de uma das 1.130 urnas. Ela acabou sendo trocada rapidamente", explicou o juiz.

Números


Ao todo, 10.962 eleitores (3,85%) votaram em branco, enquanto outros 29.050 (10,21%) anularam o voto neste 2º turno em Ribeirão.

O número de abstenções (157.340) foi maior do que a quantidade de votos que o atual prefeito da cidade, Duarte Nogueira, obteve para se reeleger até 2024. O tucano foi escolhido por 154.428 eleitores.

"Tem um fator grande que é a preocupação com a pandemia. Muitas pessoas mais idosas e, ao mesmo tempo com doença, foram aconselhadas por si próprias ou por parentes a não irem às aglomerações, entre elas os locais de votação", disse Nogueira.

"No primeiro turno, tivemos uma abstenção na ordem de 32%. Agora, chegou a 35%. Já era esperada a manutenção dessa grande abstenção, pois o nível no Brasil todo foi muito maior do que o das últimas eleições", acrescentou o prefeito reeleito.

No país, a abstenção foi de 29,5%, a maior taxa já registrada pelo TSE.  
 
VEJA TAMBÉM  
 
Confira as promessas de Nogueira para o segundo mandato 
 
Eleições: Alexandre Ferreira é eleito prefeito de Franca
 
 
Nogueira venceu em todas as Zonas Eleitorais de Ribeirão

Mais do ACidade ON