Publicidade

politica

Ribeirão: Obras de mobilidade devem ter novas empresas em 5 meses

Construtoras responsáveis por quatro obras de mobilidade em Ribeirão Preto descumpriram cláusulas contratuais e foram dispensadas dos trabalhos

| ACidadeON/Ribeirao -

 

Obra na avenida Nove de Julho, em Ribeirão Preto (Foto: Weber Sian/ACidade ON)

A rescisão contratual com as construtoras responsáveis pelas principais obras de mobilidade de Ribeirão Preto, deve interferir no prazo de entrega dos serviços.  A expectativa é de que as novas empresas assumam em cinco meses, disse o secretário de Obras Públicas, Pedro Pegoraro.  

As empresas Coesa e Contersolo estavam a frente dos trabalhos para a instalação dos corredores de ônibus da Avenida Dom Pedro I, da Avenida Saudade ;Viadutos da Avenida Brasil/Mogiana e Brasil/Thomaz Alberto Whately e Túnel que interliga as avenidas Independência e Presidente Vargas. 

"É um trabalho administrativo que tem que ser feito. Contratual. Isso demanda tempo. É um prazo que se dê toda a formalidade do processo de rompimento. Uma vez rompido o contrato, faz a segunda etapa, que é o oferecimento às empresas e a terceira, que é a relicitação. Nós acreditamos que, se tudo correr bem, nós teremos uma outra empresa assumindo essa obra em um prazo de cinco meses", disse Pegoraro.

LEIA MAIS - Ribeirão rompe contratos para construção de túnel e viadutos


Mais notícias


Publicidade