Aguarde...

Especial Névio Archibald

Empresa que vai fazer a limpeza da Câmara pertence a sócio do PróUrbano

Presidente da Câmara, Lincoln Fernandes, disse que chegou a consultar o Ministério Público sobre a situação; O valor do contrato é de R$ 104,7 mil até o final do ano

| ACidadeON/Ribeirao


Lincoln Fernandes diz que perguntou ao Ministério Público se poderia contratar empresa do sócio do PróUrbano (Foto: Allan S. Ribeiro/Câmara Ribeirão)
Começou neste mês de setembro a valer o contrato da Câmara Municipal de Ribeirão Preto com a empresa CRC Serviços Terceirizados, que é responsável pela realização dos serviços de limpeza do prédio do Legislativo, incluído o anexo, que começou a ser ocupado pelos vereadores nas últimas semanas. O valor do contrato é de R$ 104,7 mil até o final do ano.  
Mas...
 
O valor mensal que será pago pelo serviço, cujo contrato de duração é de três meses e 29 dias (o contrato entrou em vigor no dia 2 de setembro) será de R$ 26,3 mil. O valor é menor do que os R$ 39,3 mil pagos, em média, por mês, entre janeiro e julho. Contudo, a Câmara afirma que chegou a procurar o MP-SP (Ministério Público de São Paulo).  

Isso porque, um dos proprietários da CRC Serviços Terceirizados, empresa vencedora da licitação, é Carlos Roberto Cherulli, um dos diretores do Consórcio PróUrbano, responsável pelo serviço de transporte coletivo em Ribeirão Preto. O Legislativo disse que gostaria de saber se a situação seria legal, o que teria sido confirmado pela promotoria.  

Consulta
 
"Fizemos uma consulta verbal no Ministério Público, recebemos a informação de que não tem nada errado", declarou o presidente da Mesa Diretora da Câmara, Lincoln Fernandes (PDT).  Ele disse durante a sessão desta quinta-feira (27), ter sido contrário a assinatura do acordo. "Eu sou contra, mas eu não posso quebrar a lei, e está dentro da lei. Não tem nada errado nisso", disse.  

O que diz?
 
Carlos Roberto Cherulli foi procurado pela coluna na Turb Transportes, empresa ao qual é um dos diretores e através da assessoria de imprensa do Consórcio PróUrbano. Contudo, a coluna foi informada que Cherrulli havia viajado e só retornaria na próxima semana.  

O custo da limpeza
 
Em 2019, a Câmara Municipal pagou R$ 275,6 mil, segundo o Portal da Transparência, para a empresa Ivandro Carlos de Mattos, que prestava o serviço até o contrato ser encerrado em julho. O acordo com a empresa anterior custou, no total, R$ 1,8 milhão para a Câmara entre os anos de 2014, quando foi assinado, e julho de 2019, quando foi encerrado.


Mais do ACidade ON