Aguarde...

Especial Névio Archibald

Em ano eleitoral, Câmara de Ribeirão quer suspender recesso

Legislativo alega que a suspensão da pausa de julho seria em decorrência da pandemia do novo coronavírus

| ACidadeON/Ribeirao


Sessões são realizadas por videoconferência (Imagem: Reprodução)

A Câmara de Ribeirão Preto pretende suspender o recesso de julho de 2020, ano que a maioria dos parlamentares vai tentar a reeleição no pleito marcado para novembro.

Mas a justificativa do Legislativo não tem ligação com eleições. Os parlamentares alegam que divido à pandemia do novo coronavírus é prudente a Câmara não entrar em recesso.

Durante a sessão desta quinta (9), a urgência em votar a suspensão do recesso foi aprovada. Com isso, a medida vai ao plenário na terça-feira (14). Se o recesso fosse ocorrer, a sessão da terça seria a última do mês e os trabalhos voltariam em 4 de agosto. 
 
"Pela presente Resolução, fica autorizado, em caráter excepcional e em razão da pandemia de Covid-19, o desenvolvimento das Sessões Ordinárias no período compreendido entre 16 e 31 de julho de 2020, considerado suspenso o recesso legislativo de julho de 2020" diz o artigo primeiro, da proposta apresentada pela Mesa Diretora. 
 
Vale ressaltar que em maio, o Congresso Nacional, em Brasília, também suspendeu o recesso de julho sob alegação da necessidade de continuar trabalhando devido à pandemia. "A decisão foi tomada por nós parlamentares, por entendermos que o Legislativo precisa continuar trabalhando para amenizar os efeitos negativos da pandemia de Covid-19", disse o presidente do Comgresso, Davi Alcolumbre, na época.


Polêmica

Ainda durante a sessão desta quinta, os vereadores sabatinaram o superintendente da Transerp, Antonio Carlos de Oliveira. A convocação foi de autoria do vereador França (PSB) e o assunto foi a avenida Antonia Mugnatto Marincek, entrada do Ribeirão Verde, na zona Leste.

Segundo a Câmara, muitos acidentes passaram a ocorrer depois da duplicação da via. Oliveira alegou que o local é bem sinalizado, mas não descartou a instalação de radares de velocidade.

O superintendente também afirmou segundo resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), a instalação de redutores de velocidade é proibida em vias arteriais como Mugnatto Marincek.

O vereador Alessandro Maraca (MDB) não concordou com a afirmação de Oliveira e chegou a disparar um vídeo via redes sociais dizendo que o superintendente mentiu na Câmara.


Aprovada

Em sessão extraordinária, os vereadores aprovaram, em primeira discussão, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o ano de 2021. Também foram aprovadas 90 emendas apresentadas por vereadores e comissões permanentes.

A segunda discussão da LDO, também em sessão extraordinária, está marcada para terça-feira (14), às 15 horas.

Mais do ACidade ON