Aguarde...

Cotidiano

Pesquisadores criam farinha de maracujá saudável para evitar desperdício da fruta

No Brasil, toneladas do material acabam indo parar no lixo, sem reaproveitamento. Outra vantagem da farinha da casca do maracujá está no prazo de validade

| ACidadeON/São Carlos

Pesquisadores criam farinha de maracujá saudável para evitar desperdício da fruta
 
Uma parceria entre uma empresa de São Carlos e pesquisadores da Empresa Brasileira de Agropecuária (Embrapa) de Brasília criou uma farinha de maracujá que, além de evitar desperdício, preserva nutrientes vindos da casca da fruta. No processo, eles utilizaram uma técnica considerada mais eficaz para desidratar o material, conhecida como liofilização. No Brasil existem 150 espécies de maracujá, metade delas com potencial para ser usada na alimentação. Porém, toneladas do material acabam indo parar no lixo, sem reaproveitamento.  

Primeiro, os maracujás são lavados e desinfetados. A polpa é retirada e as cascas são cortadas. Depois, elas vão para uma câmara fria, a 35°C negativos, onde ficam por 24 horas. O congelamento ocorre rapidamente e provoca a formação de pequenos cristais de gelo. Em tamanho reduzido, os cristais não danificam a estrutura das cascas.  

Após o processo de congelamento, tudo é levado para uma máquina, chamada liofilizadora, que retira toda água que estava congelada, concluindo a técnica de desidratação. Porteriormente essa água vai para o estado gasoso sem passar pelo estado líquido.  "Durante outros métodos de desidratação, a gente acaba perdendo de 80 a 90% das características do alimento. Na liofilização, a gente consegue preservar 100% delas", explicou o engenheiro de alimentos, Henrique Terroni.  

As cascas saem secas e são batidas no liquidificador, se transformando na farinha. O produto pode ser usado como espessante, que altera a textura e dá mais consistência a outros alimentos. "A farinha de maracujá pode ser usada na parte de bolos, pães, tortas, ela tem o efeito parecido com a farinha de trigo", explicou o professor de gastronomia Gabriel Bratfich.  

Outra vantagem da farinha da casca do maracujá está no prazo de validade. "Uma farinha de trigo, por exemplo, tem uma validade de seis meses, já a farinha liofilizada, se conservada corretamente, fechada, sem pegar umidade do ar ou oxigênio, a gente consegue ter uma validade, segundo a legislação brasileira, de dois anos", ressaltou Terroni.  

De acordo a nutricionista Valéria Schneider, a farinha de maracujá traz vários benefícios à saúde. "Ela auxilia no esvaziamento gástrico, retarda o trânsito intestinal, ela promove uma diminuição da absorção de glicose, ela consegue reduzir a absorção de gorduras, lipídios da dieta, além de promover grande saciedade. Aproximadamente uma colher de sopa por dia dividida em duas porções já é o suficiente", explicou a nutricionista.

Mais do ACidade ON