Aguarde...

ACidadeON

Voltar

Cotidiano

Defesa Civil do Estado volta a avaliar danos causados após chuva

Equipes vistoriaram na manhã desta segunda-feira (13) todos os pontos que foram destruídos em São Carlos

| ACidadeON/São Carlos


Defesa Civil do Estado volta a avaliar danos causados após chuva. Foto: Prefeitura São Carlos

A Secretaria de Desenvolvimento Regional e a Defesa Civil do Estado de São Paulo estiveram nesta segunda-feira (13) vistoriando os estragos causados pelo temporal que atingiram São Carlos. A estimativa é de que as obras emergenciais fiquem entre R$ 5 milhões.

A visita foi guiada pela capitã Fernanda Rafaela Loureço de Moraes, diretora do Núcleo de Gerenciamento de Emergências da Defesa Civil do Estado. Foram identificados novos pontos emergenciais para elaboração de um relatório de danos.

"Detectamos um problema próximo aos córregos muito intensificado, problemas próximos a vias públicas, considerando a passagem, transporte e mobilidade das pessoas, e próximo também a boca de lobos, bueiros, e tudo que envolve restabelecimento de serviço essencial que gera prejuízo direto para a comunidade", disse a capitã.

Na primeira visita, também foram relatados os problemas da cidade após o temporal de 4 de janeiro. Porém, desta vez, os prejuízos foram muito maiores e a intensidade da chuva destruiu até mesmo o asfalto.

"A gente nota que essa é uma região muito problemática, já vem de muitos anos, e a gente espera que seja feito um trabalho adequado para que seja amenizado esse problema. Estamos aqui hoje e também tivemos na semana passada levantando alguns pontos importantes para vermos em conjunto o que poderia ser feito", informou Amarildo Calegari, coordenador regional da Defesa Civil.  

Liberação de verbas
O primeiro passo é a criação do relatório com todos os danos do município, especificamente das obras emergenciais, junto com o orçamento de quanto custariam as obras iniciais.  

"São de R$ 4 milhões a R$ 5 milhões para voltar à normalidade. O relatório serve para a questão emergencial, mas também serve para tirar base para poder solicitar futuros recursos para atender planos de drenagem [que são as obras maiores]", disse o diretor da Defesa Civil de São Carlos, Pedro Caballero.  

A seguir, o relatório é enviado pela Defesa Civil do Estado de São Paulo para avaliação da Secretaria Nacional de Defesa Civil, que é a responsável pelo repasse da verba.  

"Existe a possibilidade de envio de verba, mas vai depender muito do que o município fundamentar na documentação. O município tem prazos para enviar essa documentação, é um trabalho paralelo que é o de campo, enquanto estamos aqui, tem pessoas nossas auxiliando o administrativo da prefeitura a fazer o reparamento adequado. O município tem parâmetros, e depois que analisado e tiver ok, o prazo passa a ser do Estado", explicou a capitã Rafaela.  

O município tem 15 dias para enviar a documentação do decreto de emergência para o estado que encaminha para a União. Depois disso, são 180 dias para um retorno a nível federal. 

Mais do ACidade ON