Aguarde...

Cotidiano

São Carlos recolheu mais de 2 quilos de lâmpadas em 2019

Município está entre as cidades que mais recolheram no ano passado. Desde 2018, foram mais de 22 mil lâmpadas de uso doméstico

| ACidadeON/São Carlos

São Carlos recolheu mais de 2 quilos de lâmpadas em 2019. Foto: Imagem Ilustrativa 

São Carlos está entre as cidades da região que mais recolheram lâmpadas para reciclagem em 2019, segundo balanço da organização civil sem fins lucrativos responsável pela coleta do produto no país.  

Foram recolhidos 2.876 quilos em 2019 no município. A cidade foi a 52ª entre as 267 do programa. Desde 2018, quando todo o comércio aderiu ao programa, já foram recolhidos 2.252,2 quilos de lâmpadas, totalizando 22.252 unidades.

São cinco pontos de coleta na cidade: Tenda Atacado, Dicico Home Center, Jabu Matriz, Extra do Shopping Iguatemi e do Centro. "Em São Carlos e Araraquara, fechamos os pontos de coleta rapidamente, com lojas bem abertas ao programa, que estão divulgando aos seus clientes e à população do entorno o descarte voluntário das lâmpadas", afirmou o analista de Sustentabilidade da Reciclus Gabriel Monti.

Prejudicial ao meio ambiente
Em comparação às lâmpadas incandescentes (lâmpadas amarelas), as fluorescentes têm mais eficiência energética, potência e tempo de vida. Em contrapartida, quebra facilmente e contém mercúrio, que é contaminante, e seu descarte incorreto pode causar danos ambientais.

As lâmpadas recolhidas são enviadas para recicladoras que separam os materiais e lhe dão destinação. O vidro é triturado e vendido para empresas de cerâmica que o usam para dar efeitos em pisos e azulejos; os metais são fundidos e destinado à indústria automotiva, o mercúrio é recuperado e comercializado com empresas de cloro-soda e cloro-álcool e o pó de fósforo é descontaminado e encaminhado para processamento.

Meta
A coleta é feita pela Reciclus, uma organização civil sem fins lucrativos que atende à determinação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) de combater o descarte correto de itens que podem causar danos ao meio ambiente por meio de logística reversa. A operação é financiada por uma taxa sobre as vendas de lâmpadas.

Participam do programa apenas as lâmpadas de uso doméstico dos tipos fluorescentes compactas e tubulares; de vapor de mercúrio, sódio ou metálico; e luz mista. Não há limite para descarte, desde que seja realizado por consumidor doméstico.

Segundo a Reciclus neste mês se completou 1 milhão de quilos de lâmpadas recolhidos em todo o Brasil desde 2018. A meta é até 2021, ter instalados 3,8 mil pontos de coleta e recolher 60 milhões de unidades.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON