Aguarde...

Cotidiano

Saiba quantos respiradores existem na cidade de São Carlos

O aparelho é fundamental no combate ao novo coronavírus e pode garantir a vida do paciente, em casos graves

| ACidadeON/São Carlos

Foto: divulgação/freepik

De acordo com dados divulgados pelo Ministério de Saúde (MS), através do sistema Datasus, São Carlos conta com 107 respiradores/ventiladores nas unidades de saúde públicas e privadas. 

Porém, o dado que mais chama atenção é o número de equipamentos que estavam em utilização até o final de fevereiro deste ano. 99 equipamentos estavam em situação de uso, sendo apenas 8 vagos. 

A Prefeitura Municipal informou que existem 7 respiradores nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA) de São Carlos. Os demais hospitais do município não quiserem divulgar quantos respiradores possuem hoje ou não responderam à solicitação. 

A informação é importante para entendermos como a cidade enfrentará possíveis picos de contágio de Covid-19, já que em situações graves, o uso de respiradores é fundamental para a sobrevivência do paciente.  

Importância do respirador   

Foto: divulgação/freepik

Os respiradores/ventiladores mecânicos são protagonistas no combate ao novo coronavírus. A infecção provocada atinge principalmente as vias aéreas e em quadros graves compromete o pulmão do paciente, que perde a capacidade de respirar sozinho.

"A diferença desse novo coronavírus para uma gripe comum, é que ele pode causar uma falta de ar repentina na pessoa e evoluir para uma situação grave. Ele pode infectar um número muito grande pessoas em um período muito curto de tempo", explica, em entrevista recente, o médico infectologista e professor do curso de Medicina da UFSCar, Bernardino Alves Souto. 

Além da necessidade eminente dos aparelhos de ventilação artificial, a rapidez de contágio do vírus é outro fator de extrema preocupação. Como exposto anteriormente, o número de respiradores de São Carlos é de 107 equipamentos, sendo que em fevereiro apenas 8 estavam disponíveis para uso. Se muitas pessoas precisarem de respiração artificial ao mesmo tempo, é possível que não existam vagas para os pacientes. 

A falta de respiradores já é uma realidade no mundo, inclusive.  De acordo com governos europeus, como os da Itália e da Espanha, que batem recordes diários de óbitos por conta da Covid-19, a falta de leitos e respiradores para todos que necessitam são os principais motivos para a alta taxa de letalidade, que chega a 9%, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). 

Expectativa  

Foto: divulgação/freepik

É claro que São Carlos está longe de ser uma Itália, tanto pelo número de habitantes quanto pelo perfil dos moradores e da cultura local. Contudo, de acordo com Bernardino, que também preside o Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus na cidade, a estimativa é de que aproximadamente 300 pessoas necessitem de cuidados por conta do vírus no município. 

"Eu fiz um cálculo de projeção para São Carlos. Se a gente não fizer nada, provavelmente nós teremos no pior cenário, daqui a 70 dias, 283 doentes, 48 internados e 17 mortos", reforçou. 
 
Por conta da urgência, o poder público estadual tem empregado esforços para aquisição de mais respiradores, bem como todos os municípios paulistas também buscam aumentar o número de aparelhos para os pacientes. 
 
Se a quantidade dos equipamentos em São Carlos não parece ser grande, nas cidades próximas a realidade é ainda mais preocupante. 
 

CIDADENº DE RESPIRADORES (fonte: Ministério da saúde)
Ibaté3   (Prefeitura afirma ter 4 equipamentos, hoje)
Descalvado3
Brotas1
Dourado2
Itirapina3
São Carlos107


VEJA TAMBÉM: 

Servidores da UFSCar criam máscaras 3D e consertam respiradores do Samu

Mais do ACidade ON