Aguarde...

Cotidiano

Mesmo na pandemia, banco de leite mantém número de doações

Ao todo, são 42 doadores na Santa Casa de Misericórdia. Nesta terça-feira (19) é celebrado o Dia Nacional da Doação de Leite Materno

| ACidadeON/São Carlos

Estoque de leite na maternidade. Foto: Divulgação/ Santa Casa

Mesmo com a pandemia, o banco de leite da Santa Casa de São Carlos (SP) não sofreu queda de doações. Ao todo, são 42 doadores que oferecem um volume suficiente aos recém-nascidos internados.

Nesta terça-feira (19) é celebrado o Dia Nacional da Doação de Leite Materno. Diferente do município, o Estado de São Paulo registrou uma queda de 60% em doações, segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde.  

Por isso, o estado lançou um apelo para que mais mulheres que estejam amamentando contribuam com os bancos de leite das cidades paulistas, principalmente da capital.  

Mesmo com um número satisfatório, a maternidade ainda aceita novas doadoras. Segundo o pediatra e coordenador do banco de leite da Santa Casa de São Carlos, André Giusti, toda coleta é feita diretamente na casa das doadoras, de forma que não há qualquer risco para as mães ou para os filhos.  

"A doação é muito simples, depois da primeira consulta com o pediatra, entre 7 e 10 dias, o pediatra avalia a condição do bebê e a mãe já pode ser doadora. Não dá trabalho nenhum ser doadora, a gente não compete com o neném. Ela deixa o neném mamar até se satisfazer totalmente, o que a gente quer é o excesso, aquilo que sobra. Ela vai coletando na casa dela, a gente fornece todo material e ela aprende como conservar, e a gente vai uma vez por semana buscar na casa da mãe. Ela não pode e não deve trazer o leite até a maternidade", disse o médico.  

Quando o leite materno chega na Santa Casa, ele passa por todo processo de análise e pasteurização para garantir que está apto a ser doado aos nenéns.  

"Ao chegar esse leite, ele é trocado do vidro da coleta para um vidro especial da pasteurização. Depois, são colhidas amostras laboratoriais para uma série de exames, e após o laboratório liberar dizendo que está pronto para ser administrado em um bebê prematuro, aí sim a gente libera para enviar para a UTI e para a Unidade de Cuidados Semi-Intensivos", explicou Giusti.  

Além da coleta do leite materno, a instituição também tem outros serviços, como aconselhamento às mães que têm dificuldade em amamentar. O banco de leite funciona todos os dias. Quem quiser mais informações, ou mães que amamentam e queiram também se tornarem doadoras, é só ligar para (16) 3509-1175.

Mais do ACidade ON