Aguarde...

Cotidiano

Coleta de resíduos recicláveis atinge apenas 40% de São Carlos

Neste Dia Mundial da Limpeza, conheça o trabalho da cooperativa responsável pela coleta e entenda a situação do município

| ACidadeON/São Carlos

Coleta de recicláveis atinge apenas 40% de São Carlos. Foto: Divulgação/Prefeitura
Um dos problemas ambientais mais graves é o que envolve a gestão de resíduos. Em São Carlos (SP) a realidade não é diferente, já que a coleta de resíduos recicláveis é feita em apenas 40% dos bairros.  

São cerca de 120 toneladas coletadas mensalmente, mas isso ainda é pouco perco do que é gerado pela população. Isso porque o município não possui um plano de gestão de resíduos, que é um instrumento da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).  

Desde meados de 2002, quando o município implantou o Programa Municipal de Coleta Seletiva por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável, Ciência e Tecnologia, quem faz a coleta é a Coopervida, cooperativa de catadores de materiais recicláveis do município.  

A estrutura da cooperativa conta com dois caminhões grandes para fazer a coleta porta a porta, realizadas de segunda a quarta-feira, um caminhão pequeno para outras coletas e um barracão onde é feita a seleção por tipos de materiais. (Veja o vídeo abaixo)  

"É onde ele é armazenado, triado e depois vendido. Mensalmente conseguimos fazer 120 toneladas por mês. Em tempos de calor, as pessoas consomem bastante refrigerante, então a gente coleta bastante garrafa e cai um pouco a produção de outros tipos de materiais", explicou a secretária Meirielle Cristina Magon.  

Toda a renda gerada pela venda dos materiais coletados serve para manter o funcionamento da cooperativa. "A gente vende o material que entra e o dinheiro vem para juntarmos com o que recebemos da prefeitura e é onde fazemos o pagamento de cooperados e outras contas que temos", contou Meirielle.   


Mais problemas
Mesmo com um grande volume coletado mensalmente, os resíduos de cerca de 60% da cidade não são coletados, uma realizada que traz à tona mais um problema de São Carlos, principalmente neste sábado (19), quando é comemorado o Dia Mundial da Limpeza. Em virtude da pandemia, a prefeitura informou que não seriam realizadas as corriqueiras ações para promover a mobilização das pessoas para a limpeza de bairros, praças e parques.  

Porém, o poder público pede a conscientização a população para a limpeza do ambiente domiciliar para a eliminação de criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya, zika e febre amarela, e também aponta a necessidade do descarte correto dos resíduos sólidos. "O lixo é parte importante da degradação do meio ambiente. Esse tipo de ação é muito importante porque envolve crianças, adultos e mobiliza toda a população. Quanto menos lixo tiver, mais saúde tem a população", disse o pesquisador e professor José Galizia Tundisi, secretário de Meio Ambiente, Ciência, Tecnologia e Inovação.  

O descarte irregular de resíduos traz problemas para a saúde e também para o meio ambiente. Mau cheiro, obstrução das bocas de lobo, proliferação de vetores de doenças, como o Aedes aegypti. "A população precisa ter consciência que todos esses resíduos sólidos podem ser tornar criadouros, temos que evitar a proliferação do mosquito eliminando todos os criadouros. Recipientes plásticos, marmitas, alumínio, enfim tudo que pode juntar água se torna criadouro do mosquito", alerta Denise Scatolini, chefe da Seção de Apoio à Vigilância em Saúde e Informação da Secretaria de Saúde.   

Ecopontos são opção para descarte correto de resíduos em São Carlos. Foto: Divulgação/Prefeitura

Descarte correto
Questionada pelo portal ACidade ON sobre uma possível expansão do serviço de coleta, a prefeitura informou que está finalizando o Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PMGIRS), para planejamento da estruturação do setor público na gestão de resíduos.  

Enquanto o plano não é implementado, a opção é o descarte em um dos cinco ecopontos do município, que são responsáveis pela captação de pequenas quantidades de entulho de pequenos geradores. As unidades recebem resíduos de construção civil, os resíduos de móveis, colchões, volumosos, poda de árvore e também, material da coleta seletiva. O descarte permitido é de até um metro cúbico por munícipe, ou seja, o volume que cabe num veículo utilitário pequeno.   

Os ecopontos funcionam de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h e aos sábados e domingos das 8h às 12h nos bairros São Carlos VIII, Jardim Paulistano, Jardim Ipanema, Cidade Aracy e Jardim Medeiros. Denúncias de descarte irregular de resíduos devem ser feitas na ouvidoria pelo telefone 156. 




Mais do ACidade ON