Aguarde...

Cotidiano

Comerciante deixa baixada após duas inundações em 13 dias

Economistas apontam impactos sociais "terríveis" e perda de empregos, com aumento de mendicância caso o centro seja "esvaziado"

| ACidadeON/São Carlos

Lojista decide mudar de local após duas inundações em menos de 15 dias em São Carlos (SP). Foto: CBN São Carlos
Após duas inundações em menos de 15 dias, um comércio de São Carlos (SP) está deixando a região da baixada do Mercado Municipal. A loja de sapatos de Mara Garbuio é uma que está deixando o ponto que ocupou por 40 anos. O estopim da mudança foi o temporal que devastou mais uma vez o centro da cidade. Tudo foi perdido.  

"Tudo começou aqui. Então vieram as enchentes, três, veio a pandemia. Estávamos ali firmes e fortes por causa de funcionários. Mas depois dessa (enchente) que quase mexeu com vidas, temos que pensar que as meninas ficaram presas no sótão de tanta água que estava dentro da loja. E se acontecesse alguma coisa com elas? Não nos perdoaríamos. Nós vamos vai sair, voltar para um ponto antigo que tínhamos na Avenida São Carlos e seja o que Deus quiser", relata.  

A realidade de Mara é a mesma de outros comerciantes, que estão calculando os prejuízos causados pelo alagamento da última quinta-feira (26). Ao menos 150 lojas foram atingidas pela enxurrada às vésperas da "black friday". Apesar dos estrados, ninguém ficou ferido com gravidade.  

Próximo à loja de Mara, outra loja apresenta uma placa informando a mudança de local. O estabelecimento optou por um lugar um pouco mais alto após o temporal do dia 13 de novembro.  

A situação de desolação fez a Prefeitura de São Carlos declarar estado de emergência depois dos danos causados pela chuva. O decreto foi publicado no Diário Oficial do município neste sábado (28).  

O estado de emergência acelera a licitação de obras e a liberação de recursos para obras urgentes de recuperação dos locais atingidos, segundo o diretor da Defesa Civil de São Carlos, Pedro Caballero.  

"Ela tem a liberdade para atender à reconstrução da cidade e para que no menor tempo possível volte tudo à normalidade", explica.  

Na sexta-feira (27), o prefeito Airton Garcia foi até São Paulo solicitar ao governo do Estado recursos para obras antienchentes. Entretanto, segundo a Prefeitura, os quase R$ 11 milhões em verbas serão aplicados em outra região da cidade, próximo à rotatória do Cristo e a um shopping.  

Para o economista Cláudio Paiva, as recorrentes inundações na região do Mercado Municipal podem ter impacto até na geração de empregos no município.  

"A tragédia ocasionada pelas chuvas, fato que vem ocorrendo há décadas em São Carlos vai afetar certamente a geração de empregos e isso vai ter rebatimento também no setor de serviços", comenta.  

O economista Paulo Cereda tem opinião semelhante. Ele demonstrou preocupação grande com o impacto social que poderia surgir com o esvaziamento da região central da cidade.  

"Se o comércio sair daquela região haveria um impacto social terrível, transformando numa zona de miséria, talvez até com mendicância e perda da beleza do Centro. É importante que se tome providências rápidas para mitigar o problema da enchente. Resolver de uma vez é difícil, mas reduzi-lo é possível para diminuir um impacto social grande", frisa.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON