Aguarde...

Cotidiano

Em São Carlos, volta às aulas da rede municipal continua sem data

Após reunião no Palácio dos Bandeirantes, Wanda Hoffmann afirma que faixa etária de alunos atendidos pelo município exige "programação diferenciada"

| ACidadeON/São Carlos

Secretária da Educação, Wanda Hoffmann, e vice-prefeito Edson Ferraz em encontro no Palácio dos Bandeirantes. Foto: Divulgação
As aulas na rede municipal de ensino de São Carlos não devem ser retomadas no dia 1º de fevereiro, mas em data futura. A informação foi dada pela secretária da Educação, Wanda Hoffmanm após reunião no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo. No encontro foi dada a possibilidade de abertura de novas vagas em creches.  

A secretária e o vice-prefeito Edson Ferraz (MDB) participaram de uma reunião com o governador João Doria (PSDB) e os secretários de Educação, Rossieli Soares, e Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi. O encontro, que envolveu representantes de outros municípios, foi realizado para explicar melhor o planejamento de volta às aulas da rede estadual.  

De acordo com a secretária, a reunião na capital foi muito esclarecedora para entender melhor o retorno às aulas na rede estadual de educação. "Nós identificamos os diversos elementos necessários para finalizar o nosso planejamento de retorno às aulas de acordo com a necessidade da rede municipal. Não retornaremos no dia 1º de fevereiro já que temos muito mais alunos de 0 a 6 anos, ou seja, na educação infantil, o que requer uma programação diferenciada", afirma.  

Na opinião da secretária, outra questão importante da reunião foi a oportunidade que o Estado abriu aos municípios para ampliação de vagas em creches. "Vamos elaborar um projeto para concorrer à parte desses recursos e ampliar, ainda mais, a oferta de vagas na educação infantil que hoje já ultrapassa 10 mil alunos", comenta.  

Para o vice-prefeito, o essencial é o retorno com segurança, obedecendo aos critérios estabelecidos pelos órgãos de saúde. "O secretário estadual nos mostrou que o retorno às aulas presenciais é baseado em experiências internacionais e nacionais e tem o intuito de garantir a segurança dos alunos e professores. O retorno vai ser realizado por rodízio, por isso ainda precisamos fechar nosso planejamento", explicou o vice-prefeito.  

A decisão do governo do Estado é manter as escolas abertas em todas a fase do Plano São Paulo. Se uma área estiver nas fases vermelha ou laranja do Plano São Paulo, as escolas da educação básica, que atendem alunos da educação infantil até o ensino médio, poderão receber diariamente até 35% dos alunos matriculados. Na fase amarela, elas ficam autorizadas a atender até 70% dos estudantes; e na fase verde, até 100%. Os protocolos sanitários devem ser cumpridos em todas as fases.  

Já as instituições de ensino superior, poderão funcionar na fase amarela com até 35% das matrículas, e na fase verde, com até 70%. Nas etapas vermelha e laranja, elas não estão autorizadas a funcionar. Cursos superiores específicos da área médica têm o retorno presencial autorizado em todas as fases do plano.  

A gestão Doria planeja retomar as aulas presenciais na rede estadual. O governo apresentou os detalhes da volta às aulas na rede pública estadual e anunciaram o investimento de R$ 80 milhões para ampliação de oferta de vagas em creches.  

"A educação é fundamental para todos nós que somos pais, temos filhos que há mais de 12 meses estão distantes de suas aulas, do ensino, de seus professores e que precisam, com critério, com planejamento retomarem suas aulas", justificou o governador.  

"Hoje, a ciência nos mostra que o espaço escolar é seguro desde que realizemos todos os protocolos corretamente. Como governo do Estado, estamos seguindo a ciência e junto com as prefeituras, vamos avançar para priorizar cada vez mais a educação, abrindo nossas escolas para todos os estudantes", explicou Soares.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON