Aguarde...

Cotidiano

Média diária de atendimento no covidário subiu para 180, diz secretário

Nesta quinta (14), São Carlos (SP) deve ultrapassar os 7 mil casos; por conta do aumento também em internações, a secretaria de Saúde já estuda a expansão de leitos UTI/Covid na Santa Casa

| ACidadeON/São Carlos

Centro de Atendimento e Triagem de Síndrome Gripal, instalado no Ginásio Milton Olaio Filho. Foto: Divulgação/Prefeitura

O aumento desenfreado de casos e mortes de Covid-19 em São Carlos (SP) tem causado preocupação. Em 13 dias, o município registrou mais de 900 casos positivos e seis mortes, e nesta quinta-feira (14) deve ultrapassar a marca de 7 mil positivados.  

Neste momento, a cidade já começa a sentir o impacto das festas realizadas em dezembro de 2020, mas ainda não chegou aos "finalmentes", já que a estimativa, segundo especialistas, é de que o reflexo do fim de ano apareça na próxima semana.

Além dos casos, a procura por atendimentos públicos em hospitais também cresceu. Segundo o secretário de saúde, Marcos Palermo, o atendimento no covidário, unidade especial de saúde criada para receber moradores com síndrome gripal, já está em uma média diária de 180 pacientes.

"Nós saímos de uma margem de 80 pessoas diárias e hoje estamos em 180 pessoas. Tivemos dias que chegamos a 200 pessoas passando por atendimento médico e testando para ver se possivelmente estaria positivado. Muitas pessoas estão assintomáticas, houve um relaxamento no final de ano devido às festas de fim de ano onde as pessoas se locomoveram, se aglomeraram, se reuniram", disse.  

Palermo explica que essa unidade é um sinalizador para que se faça um monitoramento de positivados e para que essas pessoas fiquem dentro do protocolo de segurança e não contamine as outras. Por isso, o paciente que estiver com sintomas leves deve ir diretamente ao ginásio.  

"Quando houver sintomas gripais, simples coriza, falta de ar, tosse, dor no peito, dor de cabeça, quando houver qualquer sintoma pequeno, procure o ginásio de esportes que é o centro de triagem", comentou.   

O número de mortos por Covid-19 em São Carlos voltou a subir nas últimas duas semanas. Foto: Divulgação / Santa Casa

Leitos de UTI
A superlotação dos leitos de UTI/Covid também se tornou uma preocupação entre o poder público e os hospitais, principalmente neste fim de ano, quando houve um aumento grande de casos e mortes em toda a região. Ontem (13), a Santa Casa registrou uma ocupação de 75% de UTIs adultas, enquanto o HU-UFSCar estava completamente lotado.

Por conta disso, Marcos Palermo afirmou que a secretaria deve se reunir possivelmente hoje (14) com a diretoria da Santa Casa para discutir a criação e um plano B, que deve envolver a preparação para a expansão de leitos específicos para atender a demanda.  

"Não existe outra alternativa a não ser a expansão de leitos. Se houver necessidade de ampliação, o município não vai medir esforços para montar mais leitos porque prezamos pela vida. Estamos atentos a todos os movimentos, a essa evolução de leitos de pacientes graves", disse.  

Caso seja necessário, a primeira opção é criar esses novos leitos na Santa Casa, mas o Hospital Universitário (HU) também está ciente da possibilidade. "A Santa Casa hoje tem mais condições por questões de espaço físico e estrutura", comentou o secretário.  

Reclassificação
O governador João Doria (PSDB) anunciou na quarta-feira (13) que vai antecipar a reclassificação do Plano São Paulo para esta sexta (15). Essa será uma atualização extraordinária com base na situação das regiões.  

Questionado se já houve sinalização do governo estadual para que a DRS III regrida, Marcos Palermo disse que a administração ainda não recebeu nenhuma informação. "Mas acredito que existe uma possibilidade muito grande da nossa cidade regredir em uma etapa", finalizou.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON