Publicidade

cotidiano

Unidade de Terapia Fotodinâmica busca voluntários com capsulite adesiva

Pacientes serão submetido a tratamento promissor desenvolvido no Instituto de Física de São Carlos; doença compromete o movimento dos ombros

| ACidadeON/São Carlos -

Tratamento promissor é oferecido na Santa Casa. Foto: Divulgação/IFSC-USP
A nova Unidade de Terapia Fotodinâmica (UTF) da Santa Casa de São Carlos inicia nesta segunda-feira (13) a convocação de pacientes voluntários para tratamento de capsulite adesiva, enfermidade também conhecida como ombro congelado.

Os pacientes vão passar por novos protocolos com a utilização de equipamentos desenvolvidos pelo Instituto de Física de São Carlos (IFSC-USP), através do Grupo de Óptica.

De acordo com a fisioterapeuta Ana Carolina Negraes Canelada, mestranda em biotecnologia na UFSCar, um paciente de 57 anos com ombros comprometidos foi submetido a um novo tratamento utilizando um novo equipamento portátil desenvolvido pela IFSC. Nele, laser é aplicado sobre o local durante 15 minutos, em duas sessões semanais. O estudo foi publicado no "Journal of Novel Physiotherapies".

"Verificamos que no espaço de seis semanas o paciente teve uma recuperação total de todos os movimentos, sem qualquer vestígio de inflamação e com ausência completa de dores, colocando-o, assim, apto para o trabalho normal", relata a pesquisadora.

Para Ana Carolina, o novo tratamento é promissor e mostra uma possibilidade para o tratamento de capsulite adesiva e permite a melhoria da qualidade de vida aos pacientes em menos tempo.

As causas da capsulite ainda são indeterminadas, mas entre as possibilidades estão fatores como traumatismo, cirurgias e até causas sistêmicas, como a diabetes ou doenças da tireoide. Entre os principais sintomas estão a rigidez muscular e dor, que limitam os movimentos ativos e passivos do ombro. A doença acomete de 2% a 5% da população geral, com predominância entre mulheres de 40 a 60 anos.

Dentre os diversos tipos de tratamento atualmente aplicados contam-se a termoterapia, crioterapia eletroterapia, cinesioterapia e massagem direta, com um período de recuperação que varia entre 2 e 3 anos.

Segundo o Instituto de Física, o tratamento é feito na UTF às terças e quintas, entre as 08h00 e as 17h00.

Novos campos
As novas pesquisas são possíveis com a inauguração da nova Unidade de Terapia Fotodinâmica (UFT), sediada na Santa Casa da Misericórdia de São Carlos. O setor é fruto de parceria entre o hospital e Instituto de Física de São Carlos (IFSC/USP).

Os estudos são conduzidos pelo Grupo de Óptica da universidade. Entre as pesquisas em andamento estão tratamentos de dores e inflamação provocadas por artrite, prevenção e tratamento para a má circulação sanguínea nos membros inferiores e tratamento de úlceras venosas.

Mais notícias


Publicidade