Publicidade

cotidiano

Novo Camelódromo: comerciantes pedem alterações no projeto

Camelôs alegam que novo espaço dará menos conforto para clientes e vai diminuir espaço para exposição de produtos; Prefeitura afirma ter ouvido empreendedores

| ACidadeON/São Carlos -

Espaço antigo fica a poucos metros do futuro. Foto: CBN São Carlos
O começo das obras do novo Camelódromo, no Centro de São Carlos (SP), trouxe novas preocupações aos ocupantes do atual espaço destinados aos camelôs, que reclamam que o novo local vai dar menos conforto para clientes e menor espaço para a exposição dos produtos.

As obras do novo espaço iniciaram em agosto, ao custo de R$ 1,4 milhão dos cofres públicos. O futuro Camelódromo fica a poucos metros do atual, na Avenida Comendador Alfredo Maffei.

O comerciante Sidney Lemos Cunha está há 20 anos no atual Camelódromo e reclama que os atuais ocupantes do espaço "estão no escuro". O projeto apresentado pela Prefeitura teria sido alterado e os microempresários não teriam total conhecimento de como ficará o novo espaço.

"Na verdade, estou com medo de ir para lá. Aqui realmente precisa de melhorias, mas acho que o lá (o novo Camelódromo) é pior. Pelo pouco de construção que estão fazendo já vimos que vai ficar complicado", lamenta. 
 
Novo Camelódromo de São Carlos é alvo de críticas. Foto: CBN São Carlos
Os boxes do novo Camelódromo terão cobertura de 1 e 1,5 metro adiante da construção. A proteção, na opinião dos comerciantes ouvidos pela reportagem, é pequena. Atualmente, os camelôs podem expor seus produtos em frente aos seus espaços, ao abrigo do sol e chuva, algo que não seria possível após a entrega da obra. Eles pedem alterações no atual projeto.

"Nós precisamos de espaço. As pessoas que vêm aqui precisam tocar na mercadoria. Lá não vamos ter nada disso. É uma mudança complicada. Vamos tentar marcar uma reunião com os órgãos competentes", relata o camelô Edivaldo Venâncio de Moraes.

Localizado na baixada do Mercado Municipal, o atual Camelódromo está em região sujeita às enchentes ocasionais que levam prejuízo aos comerciantes do local. O problema continuará, segundo os camelôs, no novo espaço, que fica em nível semelhante ao atual.

"Pode ser que fique mais bonito e organizado, mas em questão de tamanho, vai ser bem difícil para nós, em questão de disposição de mercadoria. Vai ficar complicado", diz Maria Claudia Martinez Villare Ferreira, que é camelô há dez anos.

A Prefeitura de São Carlos afirmou que realizou reuniões com os camelôs e que nelas apresentou os projetos do novo espaço. A administração salientou que a obra executada é a mesma apresentada aos comerciantes.

Mais notícias


Publicidade