Publicidade

cotidiano

Banco de Leite completa 20 anos com mais de 3 mil bebês beneficiados

Durante esse período, quase 17 mil mães receberam atendimento individual com orientação sobre o momento da amamentação

| ACidadeON/São Carlos -

Nicoli e Jhenifer foram alimentadas com leite materno por sonda. Foto: Divulgação/Santa Casa

O Banco de Leite da Santa Casa de São Carlos (SP) completa 20 anos neste mês de outubro beneficiando 3.350 recém-nascidos com leito materno doado. Ao todo, o projeto já acolheu 16.697 mulheres com atendimento individual. 

Uma das famílias beneficiadas pela bela iniciativa foi a da auxiliar administrativa Adriele Nicoletti. Suas filhas Nicoli e Jhenifer nasceram em 2008, com cerca de 750 gramas, após um sangramento com 26 semanas de gestação, e precisaram ficar internadas na UTI Neonatal por quase três meses. 

Durante esse período, elas foram alimentadas por sonda com o leite materno doado ao Banco de Leite. "A gente só tem a agradecer né? Eu também doei o meu leite nesse período. Eu queria agradecer ao Banco de Leite. Hoje, 13 anos se passaram e elas estão aqui, bem e saudáveis", relata Adriele. 

Além da doação, o banco também realiza um trabalho de orientação às mães. A equipe dá dicas sobre a pega correta na hora de amamentar, o que fazer quando o leite empedra e como evitar o desenvolvimento de mastite. 

A gerente regional do Projeto Guri, Edenilva Bonicelli, foi uma delas. Graças ao apoio da equipe do Banco de Leite, ela conseguiu amamentar o Murilo, hoje com 3 anos e meio. 

"Em 2018, quando o Murilo nasceu, eu tive muita dificuldade de amamentar. E foi graças aos profissionais do Banco de Leite, verdadeiros anjos da guarda, é que eu não desisti do meu sonho de amamentar. Pela minha inexperiência e falta de conhecimento prático, foi muito difícil no começo. 

Durante os primeiros 15 dias, fui diariamente ao Banco de Leite para que o Murilo e eu aprendêssemos a pega correta. Com o apoio das profissionais do Banco, a amamentação se tornou um processo prazeroso para mim e para o meu bebê", afirma. 

Nos últimos 15 anos, período em que o Pediatra André Giusti está à frente do Banco de Leite, as doações saltaram de 5 litros de leite materno por mês para, em média, 35 litros por mês. "Sempre digo que algumas gotas podem salvar muitas vidas. E ao longo desses 15 anos, essa vem sendo a minha principal motivação", declarou.  

Mais de 16 mil mães foram orientadas sobre amamentação no Banco de Leite. Foto: Divulgação/Santa Casa

Caminho da doação
O Banco de Leite conta hoje com 30 doadoras. Para também se tornar uma voluntária, a mãe precisa ir ao Banco de Leite apenas uma vez. A doadora passa por uma triagem, faz o cadastro, recebe os frascos e outros materiais como luvas e máscaras e todas as orientações para fazer a ordenha em casa.

Uma vez por semana, a equipe do Banco de Leite busca os frascos com o leite doado na casa da voluntária. Esses frascos são colocados numa caixa térmica com um termômetro para controle rigoroso da temperatura.

O leite doado é levado para o Banco de Leite. Os frascos são higienizados e o leite, avaliado, congelado. Duas vezes por semana, o Banco de Leite faz a pasteurização das doações, processo que dura, em média, quatro horas.

"É importante ressaltar que, antes e depois da pasteurização, o leite materno doado passa por exames para garantir a qualidade. E aquele que não estiver dentro dos padrões é descartado. Tudo para garantir a segurança para as nossas doadoras e para o recém-nascido que vai receber esse leite", explica a Enfermeira do Banco de Leite, Karine Silva.

A validade desse leite, depois de todo esse processo, é de seis meses. O banco funciona todos os dias, incluindo domingos e feriados, das 7h às 18h. O telefone para mais informações é (16) 3509-1175.

Mais notícias


Publicidade