Publicidade

cotidiano

Beneficiários do Bolsa Trabalho, do governo de SP, relatam dificuldades para receber

Após dar expediente em repartições públicas, trabalhadores tiveram o meio de pagamento mudado e não receberam novos cartões

| ACidadeON/São Carlos -

Cartões serão distribuídos pelo governo do Estado. (Foto: Divulgação / Governo do Estado)
Um programa social que era para levar alento para famílias impactadas pela crise econômica, o Bolsa do Povo Trabalho está dando dor de cabeça para beneficiários que trabalharam e não receberam do governo do Estado.

Quase 30 bolsistas de São Carlos foram beneficiados pelo programa, mas a maioria sequer recebeu o cartão para retirar o benefício do banco. Dos 11 que receberam o cartão, 10 não conseguiram sacar.

Com o problema, são mais de R$ 300 de bolsa presos no banco. No primeiro mês, relatam os participantes, a transferência foi feita via voucher, mas o sistema mudou agora.

"Quando foi neste mês eles mandaram um e-mail e uma mensagem de texto, no dia 18 o pagamento estaria liberado para a gente, só que teríamos que ter o cartão", afirma Kelli Aparecida da Silva, bolsista que trabalha 4 horas diárias na limpeza da garagem da Prefeitura.

Os bolsistas são apoiados pelo pessoal da Casa do Trabalhador. Por lá, um dos funcionários tem feito a intermediação para tentar liberar o dinheiro junto à gestão João Doria (PSDB).

Os beneficiários relatam diversas tentativas, por telefone, inclusive. Thaila Crnkowics trabalha na pista de skate, na Secretaria de Esporte, e afirma que outras bolsistas que trabalham com ela também não receberam.

"Agora, a gente pensou que também ia receber a partir do dia 20 de novembro, só que algumas pessoas relataram que ao ligar, a atendente falou que íamos começar a receber a partir do dia 22 de novembro. Chegou nesse dia e não recebemos nem cartão e nem voucher. Há dois meses que estamos trabalhando e esse cartão não chega em nossa residência".

Enquanto o dinheiro não vem, o negócio é continuar a trabalhar justamente para não perder o benefício. Sem o recurso, a situação continua difícil em casa, relata Thaila. "Tem mulheres qe estão esperando o dinheiro até para pagar uma conta de água, ajudar no aluguel".

"É um dinheiro que a gente trabalhou e estava esperando, mas não chegou. E querendo ou não, as contas não esperam. A fome também não espera. É uma situação constrangedora, como se a gente tivesse mendigando uma coisa que é do nosso direito", reclama.

Indisponível
Amanda Batista da Silva Gomes está esperando para ver a cor do dinheiro. O site onde acompanhava o pagamento ficou fora do ar, e quem conseguira entrar recebia a mensagem de "indisponível".

Quem teve o cartão disponibilizado não consegue sacar. "A gente entra em contato e o que dizem é para aguardar. Desde o dia 20 está nisso".

"Falaram que foi extraviado, mas ninguém tem nada concreto e nem dizendo o que realmente aconteceu. Pedimos o código de rastreio e ninguém se posiciona, só diz que o pagamento não foi liberado", critica.

Amanda trabalha no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) do Cidade Aracy. Por lá ela atende o telefone, retorna às ligações, ajuda no atendimento às outras famílias que estão em situação de vulnerabilidade. "Eu trabalho, entro às 8h, saio 12h, nunca faltei um dia e acho isso uma falta de respeito com a gente".

"A gente quer resolve essa situação porque somos mães, no momento desempregadas e dependendo desse dinheiro porque o auxílio emergencial acabou e o Bolsa do Povo veio como uma ajuda para a gente, mas esse dinheiro não está vindo. A gente está dependente desse dinheiro para pagar aluguel, colocar comida em casa, coisas básicas", finaliza.

O que diz a Prefeitura
A Prefeitura de São Carlos afirmou que aderiu ao programa do governo estadual e foi contemplada com 60 vagas. "A seleção foi feita pelo Estado, só recebemos a lisa para fazer a divisão nas secretarias", informa a nota.

"O primeiro mês o governo pagou a bolsa de R$ 340 por voucher, mas neste mês decidiu pagar por cartão e desativou o voucher. O problema é que os cartões foram encaminhados pelos Correios e as bolsistas não estão recebendo", completa. 

O que diz o Estado
A Empresa de Tecnologia do Governo de São Paulo (Prodesp), responsável pela operacionalização do Bolsa do povo, afirmou que "os beneficiários do Bolsa Trabalho receberão os créditos somente pelos cartões".

Os bolsistas que possuir valor residual no voucher "terá o benefício transferido para o cartão".

Os cartões são enviados para o endereço cadastrado no programa. A empresa afirma ser fundamental a manutenção de dados atualizados no portal do Bolsa do Povo (www.bolsadopovo.sp.gov.br). Após recebimento do cartão, é necessário realizar o desbloqueio pelo portal do Bolsa do Povo. Outra opção para quem não tiver acesso à internet é através da Central de Atendimento do Bolsa do Povo, no telefone 0800 7979 800. O atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h. O desbloqueio pode levar até 48 horas úteis para ser concluído.

"Para esclarecer dúvidas e acompanhar o envio dos cartões, o beneficiário deve entrar em contato com canais de atendimento do programa pelo telefone ou WhatsApp (11) 98714-2645", afirma a Prodesp.

Mais notícias


Publicidade