Aguarde...

ACidadeON São Carlos

SÃO CARLOS
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Golpe do seguro-desemprego já fez 11 vítimas em São Carlos e região

Criminosos têm acesso aos dados pessoais e fazem retirada antes dos beneficiários. Polícia Civil está investigando os casos e lesados precisam abrir processo de contestação de saque.

| ACidadeON/São Carlos

Vítima de golpe do seguro desemprego abriram processo no MTE de São Carlos Foto: Reginaldo dos Santos/EPTV

 
Pelo menos 11 pessoas já foram vítimas do golpe do seguro-desemprego em São Carlos e região, segundo a regional do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) na cidade. Os criminosos conseguiram os dados das vítimas e sacaram o dinheiro antes dos beneficiários, conforme demonstra matéria veiculada pela EPTV Central e divulgada também pelo G1 São Carlos.

A Polícia Civil investiga os casos e os lesados devem fazer contestação na Superintendência Regional do Trabalho.

Crime  

O golpe prejudica trabalhadores que estão desempregados, justamente quando mais precisam do dinheiro.

Segundo a gerente regional do trabalho de São Carlos, Consuelo Lima, desde o segundo semestre do ano passado, 32 casos foram registrados em 24 cidades diferentes.

"Primeira coisa que a pessoa deve fazer é ir até a Caixa Econômica para bloquear as próximas parcelas. Depois ir ao Ministério do Trabalho para abrir um processo. Até agora tivemos 11 casos neste ano e esse número tem aumentado", disse.  

Em nota, a Caixa Econômica Federal (CEF) informou que atua constantemente na prevenção de eventuais fraudes e faz monitoramento online das operações que envolvem o pagamento de benefícios.

"Caso o cliente necessite efetuar alguma contestação de saque, conforme prerrogativas contratuais, o reclamante deve comparecer à Superintendência Regional do Trabalho e Emprego para formalizar pedido de apuração por parte do Ministério do Trabalho", informou.   

Ministério do Trabalho e Emprego de São Carlos Foto: Reprodução/ EPTV

Golpes

Dois moradores de São Carlos alegam que foram vítimas do golpe. Segundo eles, os criminosos conseguiram sacar uma das parcelas do beneficio antes deles.

Cássio José Santos é mecânico de refrigeração e foi demitido em maio do ano passado. Quando foi receber a quinta parcela do seguro desemprego, foi informado que o dinheiro havia sido sacado em uma agência do Ibirapuera, em São Paulo.

"Tentei sacar de manhã, mas estava sem sistema. Tentei mais tarde, mas apareceu que minha senha estava com problema, então liguei na central para cadastrar outra e consegui às 17h27. Um minuto depois recebi notificação que o dinheiro foi retirado em Campinas", contou o mecânico.

O caso ocorreu em outubro do ano passado e desde então, o mecânico registrou boletim de ocorrência e abriu um processo de contestação junto ao MTE.

"Eu ligo para saber como está o processo e os atendentes só dizem que vai demorar e está em análise. Acho um descaso muito grande e tem me prejudicado. Tive que atrasar dívidas e algumas não paguei", disse Santos.

Após seis anos e meio de trabalho em um call center, Luciana Faria foi demitida. Ela começou a receber as parcelas do beneficio em fevereiro. Na última sexta-feira (5), ela foi até uma agência da Caixa retirar o dinheiro, mas foi informado que a parcela já havia sido sacada.

"Estava indo na agência retirar o dinheiro porque estava sem o cartão cidadão. Quando fui pegar a 3° parcela, a atendente me disse que haviam sacado o dinheiro na terça-feira (2), em Campinas", relatou Luciana.
Faria registrou um boletim de ocorrência na Polícia Civil e foi instruída a abrir um processo no MTE.

"Eu queria não precisar desse dinheiro, mas como estou desempregado preciso", disse. esperando agora para abrir uma ação. Tomei um susto quando tudo isso aconteceu, fiquei decepcionada, arrasada, estava com minhas contas e boletos para pagar quando sacasse o dinheiro. O duro é o mês que passamos apertado,

Investigação e contestação   

Caso foi registrado na Central de Polícia Judiciária de Ribeirão Preto


De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública, os dois casos foram registrados em São Carlos, mas também há investigações da Polícia Civil nos locais onde os saques foram realizados.

O Ministério do Trabalho informou que o beneficiário deve ir até a Superintendência Regional do Trabalho abrir um processo de contestação de saque com negativa do recebimento.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook