Aguarde...

ACidadeON São Carlos

SÃO CARLOS
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Condenada por furto, 'madame do crime' vai para o regime aberto

Decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) foi publicada nesta sexta-feira (10). Maria Angélica Macedo da Silva foi presa por furto em novembro de 2017

| ACidadeON/São Carlos

Madame do crime foi presa em São Carlos
 

Maria Angélica Macedo da Silva, ou "Madame do Crime", como ficou conhecida em São Carlos, irá cumprir o restante da pena por furto em regime aberto. O benefício foi concedido pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), em decisão publicada nesta sexta-feira (10).  

No entendimento da juíza Guacy Sibille Leite, Maria Angélica cumpriu tempo suficiente para ser contemplada com a progressão de regime, além de ter apresentado bom comportamento carcerário.  

A acusada cumpria pena de dois anos e quatro meses de reclusão em regime semiaberto na Penitenciária Feminina de Guariba.  

De acordo com a advogada Tatiana Roberta Jesus Vieira, Maria Angélica está solta por conta da 'saidinha' do Dia das Mães, mas terá que voltar à penitenciária na segunda-feira (13) para assinar a decisão.  

A partir disso, ela ficará solta, mas terá de cumprir algumas regras e restrições. 

De acordo com a decisão do TJ, Maria Angélica deverá se apresentar ao Juízo a cada trimestre; frequentar programas educativos; não se ausentar da comarca ou mudar de casa sem autorização do Juízo; sair de casa apenas para o trabalho, às 6 horas, devendo retornar até às 22h, impreterivelmente, devendo ficar em casa nos dias em que não houver trabalho.  

O crime  

O crime aconteceu na manhã do dia 13 de novembro de 2017, no Jardim Brasil, em São Carlos. No mesmo dia, no período da tarde, a acusada foi detida pela Polícia Civil em um posto de combustíveis próximo ao Estádio do Zuzão, na Vila São José.  

Maria Angélica alugou um carro e, junto a um comparsa, invadiu o imóvel. O proprietário, que estava trabalhando, não estava na casa no momento do crime. Do local foram levados videogames, televisores, notebook, celulares e joias.  

Uma câmera de segurança registrou a ação dos criminosos e, por meio das imagens, foi possível identificar o veículo alugado. Através do GPS do carro, os investigadores descobriram o percurso realizado após o furto.  

Segundo as investigações, ela e o comparsa levaram parte dos objetos para uma casa na Rua Coriolano José Gibertoni, que pertence à avó de Everaldo Junior.  

Outros pertences foram deixados por Maria Angélica na casa da Dayane Alves, no bairro Santa Felícia.  

Posteriormente, Maria Angélica e Everaldo teriam anunciado os objetos em um grupo de vendas no Facebook.  



Mais do ACidade ON