Aguarde...

ACidadeON São Carlos

SÃO CARLOS
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Vigilância em Saúde realiza palestra sobre Leishmaniose Visceral

Doença grave é causada pelo protozoário Leishmania infantum e transmitida através de um inseto, podendo atingir pessoas e animais

| ACidadeON/São Carlos

Imagem ilustrativa (Foto: Divulgação/Pixabay)
O Departamento de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de São Carlos, por meio da Unidade de Controle de Zoonoses e Endemias, dentro da programação da Semana Estadual de Prevenção e Controle da Leishmaniose Visceral, realizada pelo Governo do Estado de São Paulo até o próximo dia 10 de agosto, realizou na tarde da última terça-feira (6), no auditório do Paço Municipal, uma palestra para os Agentes de Combates às Endemias e para os Agentes Comunitários de Saúde.

A médica veterinária e supervisora da Unidade de Controle de Zoonoses e Endemias da Prefeitura de São Carlos, Luciana Marchetti, ministrou a palestra e abordou todos os aspectos da Leishmaniose Visceral. "O objetivo foi compartilhar conhecimentos sobre esta enfermidade para que os agentes estejam aptos a transmitir informações pertinentes à população", disse a médica veterinária.

Desde o ano de 2012, a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, promove a Semana de Prevenção e Controle da Leishmaniose Visceral. Este ano o tema é Leishmaniose Visceral: # eu apoio e faço parte.

A Leishmaniose Visceral (LV) é uma doença grave causada pelo protozoário Leishmania infantum e transmitida através de um vetor, o inseto flebotomíneo Lutzomyia longipalpis conhecido por mosquito-palha. É uma doença grave também para os cães domésticos, que são considerados importantes reservatórios do parasita. A transmissão entre pessoas e animais ocorre apenas através da picada do flebótomo.

Apesar de grave, a LV tem tratamento para os humanos. Ele é gratuito, está disponível na rede de serviços do Sistema Único de Saúde. Já o tratamento dos cães infectados autorizado pelo Ministério da Agricultura é caro e tem eficácia limitada. Além disso, mesmo que os sinais clínicos desapareçam, muitos animais tratados continuam como portadores do parasita LV, representando um risco à saúde de humanos e cães sadios, caso haja presença do inseto transmissor na área.

O uso de coleiras com produtos químicos repelentes é uma maneira segura e cientificamente comprovada de proteção para os animais, evitando que se infectem com o agente causador da Leishmaniose Visceral.

Em São Carlos a Prefeitura criou uma cartilha com as informações sobre a Leishmaniose Visceral. Clique no link http://www.saocarlos.sp.gov.br/files/CartilhaLV.pdf e saiba quais os principais sintomas e sinais clínicos da doença em cães e humanos e quais as medidas de prevenção e controle.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Mais do ACidade ON