Aguarde...

ACidadeON

Voltar

cotidiano

Tubulação se rompe e esgoto invade córrego em São Carlos

Moradores do Recreio dos Bandeirantes reclamaram do mau cheiro e pediram providências. Prefeitura respondeu que as obras vão custar mais de R$ 500 mil aos cofres do Saae

| ACidadeON/São Carlos

Esgoto está indo direto para os córregos. Foto: Reprodução/ EPTV
 

Durante as fortes chuvas no mês de janeiro, em São Carlos, uma tubulação se rompeu e o esgoto está sendo despejado no entro encontro dos córregos do Monjolinho, Gregório e Mineirinho.  

Moradores do bairro Recreio dos Bandeirantes reclamaram do mau cheiro no local. "É pior a noite, quando para de chover. Nos dias de sol ninguém vai aguentar isso aqui não", disse o pedreiro Eraldo Antônio dos Santos.  

A moradora Marlene Aparecida de Souza disse que não sabe mais o que fazer para que o cheiro ruim não invada sua casa. "A gente deixa a janela aberta para o ar circular, porque não tem o que fazer, se fecha a gente passa mais mal ainda", disse.  

O mestre de obras Ailton Cortez cobrou a prefeitura e o Saae para que o problema seja solucionado logo. "A gente espera que a prefeitura tome uma providência e resolva esse problema", afirmou.   

Foto: Reprodução/ EPTV

Outro lado  

Em nota, a prefeitura de São Carlos respondeu o seguinte: O Saae confirma que com as últimas chuvas um emissário de esgoto localizado a jusante da linha férrea, próximo ao loteamento recreio dos bandeirantes, rompeu.

Porém, a autarquia tranquiliza a população quanto a qualidade da água distribuída, ressaltando que o rompimento do emissário de esgoto não contamina a água distribuída.

A captação de água do Córrego Monjolinho, que é denominada de captação do Espraiado, este localizada ao lado do Parque Ecológico de São Carlos, portanto, não existe a menor possibilidade de contaminação da água consumida pela população são-carlense.

A autarquia já fez orçamentos para contratação emergencial de uma empresa especializada,  

Porém, como o local é de difícil acesso para a entrada de maquinários, e com a continuidade das chuvas, não conseguiu iniciar as obras.  

A reconstrução do emissário vai custar mais de R$ 500 mil aos cofres do Saae.

Mais do ACidade ON