Aguarde...

cotidiano

Coronavírus: moradores devem mudar rotina em condomínios

Sindico que administra 23 condomínios, totalizando mais de 10 mil moradores, fala sobre alterações de regras para evitar contágio

| ACidadeON/São Carlos

Foto: divulgação/arquivo/pixabay

Diariamente os cidadãos recebem conselhos para evitar exposições desnecessárias, ficarem em casa sempre que possível, tudo a fim de desacelerar a propagação do novo coronavírus. Entretanto, algumas pessoas residem em uma "casa" um pouco maior. Na verdade, é quase como um bairro dentro de outro. São os condomínios, cada vez mais populares, onde os cuidados exigem reforço.  

Parte significativa dos empreendimentos imobiliários hoje é composta por condomínios, sejam apartamentos ou casa, a verdade é que muitos escolheram essa moradia por conta da segurança. Contudo, o compartilhamento dos espaços comunitários, como salões de festa, playground, academia, piscina, churrasqueira, entre outros, facilita a propagação de vírus e do Covid-19.  

Nilton Fernando Campanini é sindico profissional, dono de uma empresa especializada e gestão de condomínios ele comenta quais os cuidados vem tendo que tomar para lidar com a pandemia.  

"Nós estamos bem atentos ao que vem aconteceu, e estamos orientando todos os condôminos via WhatsApp, sistemas internos e cartazes. Os moradores têm se preocupado e ajudado para que a gente tenha novas ideias e avisando os demais moradores que não estão em grupos de WhatsApp para que, juntos, possamos vencer a proliferação desse vírus", ressaltou.  

Campanini, por meio de sua empresa, administra 23 condomínios, são cerca de 4.500 unidades de moradia, totalizando entre 10 a 15 mil moradores. Portanto, a responsabilidade é grande e ele tem participado de reuniões com o poder público e com órgão que reúnem síndicos do país, mas os desafios ainda são grandes.  

"O maior problema é o convencimento das pessoas, para que eles não entrem em pânico e para que também não achem que é besteira, que não deve ser feito o controle. Alguns acham isso" reforça.  

Fernando acrescenta dizendo que "a proteção não é só coletiva, é individual. Se o indivíduo não se conscientizar, não conseguiremos ganhar a luta contra o vírus. Nós vamos lutar para sairmos dessa juntos e voltar a uma vida normal, com segurança".  

Segue abaixo algumas medidas tomadas para evitar a propagação dentro dos condomínios da cidade:  

- Se o elevador estiver cheio, espere! Suba apenas em família;
- Ao usar as escadas, sempre lavar as mãos;
- Utilizar o álcool 70% ao chegar em casa;
- Instalação de pequenos dispositivos de álcool pelo condomínio;
- Aberturas de catraca e portão por biometria estão suspensas;
- Não utilizar playground, piscina, academias, salão de festa e evitar confraternizações, assembleias e reuniões.
- Evitar reformas;
- Seguir as orientações das autoridades sobre condutas éticas.

Mais do ACidade ON