Aguarde...

cotidiano

Centro estadual de DST/Aids inicia testes de vacina inédita contra o HIV

Estudo na Casa da Pesquisa está disponível para 136 voluntários; candidatos devem ter de 18 a 60 anos, vida sexual ativa e HIV negativo

| ACidadeON/São Carlos

HIV (Foto: Pixabay)
 

O Centro de Referência e Treinamento (CRT) DST/Aids-SP da Secretaria de Estado da Saúde deu início aos testes da primeira vacina para prevenção da infecção pelo HIV, vírus da imunodeficiência humana e causador da Aids.  

As inscrições estão abertas para 136 voluntários e ocorrerão na Casa da Pesquisa do CRT (veja informações sobre as inscrições e critérios de seleção abaixo).  

O estudo utiliza como vetor da vacina o "Adenovírus 26", um vírus inofensivo aos seres humanos. Os voluntários precisam tomar quatro doses da vacina e a expectativa é que, a partir da primeira dose, o organismo já comece a produzir os anticorpos necessários para defesa contra o HIV.  

"A pessoa tomando a vacina, ela não vai desenvolver infecção pelo HIV. Essas pequenas partículas do HIV que vão no adenovírus 26, elas vão induzir o organismo a montar uma resposta imunológica, uma resposta de defesa. Se no futuro a pessoa tiver contato com o vírus HIV, em uma relação desprotegida, com parceiro que tem HIV e não se trata, o organismo já vai ter um sistema imunológico atuante para reconhecer o HIV e não causar infecção pelo HIV", explicou José Valdez Ramalho Madruga, médico infectologista e pesquisador responsável pelo estudo.  

As três primeiras doses têm um intervalo de aplicação a cada três meses. Já a última dose tem um intervalo de seis meses.  

Os participantes da pesquisa podem apresentar sinais e sintomas leves e gerais que podem ocorrer após a administração de uma vacina ou injeção com placebo, como febre, calafrios, erupção cutânea, mialgia, náusea/vômito, cefaleia, tontura, artralgia, coceira e fadiga. Todos os efeitos adversos, que geralmente são de curto prazo e não exigem tratamento, serão monitorados e acompanhado por equipe médica especializada.  

O estudo internacional "Mosaico", acontecerá também em outros países como Argentina, Itália, México, Peru, Polônia, Espanha e Estados Unidos, e tem cerca de 3,8 mil voluntários no total.  

Inscrições  

Para se inscrever os interessados devem acessar www.pesquisamosaico.com.br ou as redes sociais @pesquisacrt. Só serão aprovados os candidatos considerados vulneráveis ao vírus para este estudo: homens cisgêneros (que se identificam com o sexo biológico com o qual nasceram) que se relacionam sexualmente com homens cisgêneros, e mulheres e homens trans com vida sexual ativa. Além disso, é necessário ter entre 18 e 60 anos e ser HIV negativo.  

Não podem participar pessoas que:
Tomaram vacinas contra qualquer doença nos últimos 28 dias;
Participaram de estudos de vacinas experimentais nos últimos dois meses;
Receberam transfusão de sangue nos últimos três meses;
Candidatos com alergias ou histórico de anafilaxia (reação alérgica aguda com risco de morte) a vacinas não podem participar;
Pessoas que vivem com o vírus HIV, mesmo que a carga viral seja indetectável.
Mais informações podem ser encontradas no site www.pesquisamosaico.com.br.

*Com informações do Portal do Governo do Estado de São Paulo


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON