Publicidade

cotidiano

ICMC classifica dois times para final do Brasileirão da Programação

Disputa acontecerá em Gramado (RS) e é passaporte para torneio mundial.

| ACidadeON/São Carlos -

Equipe
Equipe "Gramando no deitado" alcançou a 6ª posição entre os 534 times participantes (crédito da imagem: divulgação)
 

Duas equipes do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, se classificaram para a final da Maratona de Programação, espécie de "Brasileirão" promovido pela Sociedade Brasileira de Computação (SBC). A decisão vai ocorrer entre 31 de março e 2 de abril de 2022, em Gramado (RS), e os melhores colocados garantem vaga no torneio mundial, o International Collegiate Programming Contest.

O ICMC contou com 13 times na seletiva (veja abaixo) e, pelo 6º ano consecutivo, conseguiu emplacar duas equipes na final o máximo permitido por instituição. Ao todo, 534 grupos participaram da disputa, realizada de forma online no fim de outubro, e 60 avançaram para a próxima rodada.

Regras do jogo No lugar das quatro linhas, os atletas da competição jogam em um computador com configurações pré-estabelecidas e, em vez de 90 minutos, têm 5 horas para resolver desafios que envolvem teoria, raciocínio lógico e conteúdos que extrapolam as aulas da graduação.

Neste ano, foram lançadas 14 questões e os competidores dos times do ICMC no topo da lista, "Gramando no deitado" e "Se der bom não pergunta como", marcaram 8 "gols" cada.

"Para bater uma falta é preciso saber chutar, ter técnica, e o mesmo vale para a maratona. Ela requer muito treinamento, trabalho em equipe, paciência e resiliência, já que são várias horas de prova", diz o professor João Batista do Espírito Santo, que coordena o Grupo de Estudos para a Maratona de Programação (GEMA) do ICMC.

Da base ao mercado internacional No GEMA, calouros têm aulas com veteranos e, como os estudantes podem participar de mais de uma edição da competição, muitos jogam de novo e aproveitam o conhecimento acumulado para alcançar melhores colocações. A equipe "Gramando no deitado", por exemplo, ficou em 4º lugar na última final da Maratona.

"Além das vitórias em si, a competição abre portas", explica João Batista. "Participar da Maratona de Programação e ser classificado para o mundial é garantia de visibilidade junto às empresas de tecnologia. Grandes companhias internacionais olham para essa competição e seus participantes. Além disso, essas empresas usam desafios de programação em seus processos seletivos e, depois do treinamento para a maratona, esses exercícios são facilmente resolvidos".

Confira a lista com a composição de todos os times do ICMC e sua colocação na seletiva para a final neste link: www.icmc.usp.br/e/ab239.

Mais notícias


Publicidade