cotidiano

Especial coronavirus

CDMF da UFSCar produz 'face shields' por impressão 3D

Protetores faciais feitas em parceria com startup foram entregues para unidades de saúde de São Carlos (SP), Descalvado (SP) e Porto Ferreira (SP)

| ACidadeON/São Carlos -

Já foram entregues 60 unidades dos protetores faciais microbicidas a instituições de saúde. Foto: Divulgação/Agência Fapesp/CDMF
O Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDMF), sediado na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e a startup Nanox Tecnologia desenvolveram máscaras tipo face shields por impressão 3D com material microbicida.  

Os protetores foram entregues para unidades de saúde em São Carlos, (Hospital Escola e UPAs), Descalvado (Santa Casa e CAPS) e Porto Ferreira (Santa Casa e APAE) no interior de São Paulo.  

A ação é resultado da parceria do Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepid), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), na UFSCar, com o grupo "Você Também Pode Ajudar", de São Carlos.  

Ao todo, já foram doadas mais de 1 mil unidades de face shields, além de outros produtos, como aventais, máscaras e equipamentos para intubação de pacientes em estágio grave da Covid-19.  

Uma das principais vertentes de pesquisa do CDMF é o desenvolvimento de materiais para o setor de saúde. Já estão em teste diversos materiais à base de partículas de prata e com ação microbicida para a adição em matrizes poliméricas e cerâmicas.  

Propriedades antibacterianas, antifúngicas e antivirais observadas indicam que esses materiais podem ser promissores no combate à proliferação do vírus em diversas superfícies.  

A Nanox, startup apoiada pelo Programa Fapesp Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE), também já produz máscaras de proteção facial em parceria com a indústria Elka.



Publicidade