Aguarde...

cotidiano

Casos de coronavírus em idosos e jovens aumentam em São Carlos

Índice quase dobrou entre infectados com mais de 60 anos, segundo relatório da Vigilância Epidemiológica

| ACidadeON/São Carlos

Foto: Reuters
O relatório semanal da Vigilância Epidemiológica de São Carlos (SP) trouxe dados preocupantes para a população. Entre eles, está o aumento de casos positivos para coronavírus entre idosos e jovens de 11 a 20 anos.  

O levantamento apontou que, entre os idosos acima de 60 anos, considerados grupo de risco, a incidência de Covid-19 quase dobrou de uma semana para a outra, indo de 24 para 45 casos confirmados, o que corresponde a 11,45% do total de casos.  

Na faixa etária até 10 anos, houve apenas um único novo caso confirmado de uma semana para a outra e a taxa de incidência entre as crianças nesta idade caiu para 3,3%. Entretanto, houve um aumento significativo entre os jovens de 11 a 20 anos, de 9 para 16 casos, totalizando 4,07%.  

O infectologista e professor do departamento de Medicina da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Bernardino Alves Souto, destaca as possíveis razões para esse aumento.  

"As pessoas saindo pras ruas, indo a encontros, deixando de usar máscaras quando saem de casa e outras medidas preventivas é a principal causa disso. Então, mesmo que os idosos tenham ficado mais em casa em relação às mais novas, mas na hora que as mais novas saem de casa, elas contraem a Covid-19 e trazem para dentro da casa e contaminam os idosos que não saíram. A mesma coisa relacionada às crianças", disse.  

Apesar de grande aumento de infectados nesses dois públicos, a maioria dos infectados continua na faixa de 31 a 40 anos. Segundo a Vigilância Epidemiológica, é justamente a faixa etária mais ativa economicamente, ou seja, pessoas que trabalham, saem de casa com mais frequência e que, portanto, estão mais propensas à contaminação.  

Dados positivos
O relatório também apontou informações boas em relação à contaminação no município. Apesar do crescimento da doença, a taxa de ocupação de UTI segue controlada e está hoje em 55%. Portanto, praticamente metade dos leitos seguem disponíveis na cidade.  

Outra informação positiva é que, de todos os casos, 80% das pessoas já estão totalmente recuperadas e 16,8% dos casos se encontram ativos.

Mais do ACidade ON