Aguarde...

cotidiano

Secretário da Saúde fala em noite de terror nos hospitais: 'Estamos perdendo essa guerra'

Marcos Palermo desabafou sobre a situação e fez um apelo à população; Segundo a prefeitura, cidade tem taxa de ocupação de 87,5%

| ACidadeON/São Carlos

Marcos Palermo desabafou em live no Facebook. Foto: Reprodução

O secretário da Saúde de São Carlos (SP), Marcos Palermo, fez uma transmissão ao vivo das redes sociais para relatar o que os hospitais do município estão vivenciando neste momento em decorrência da Covid-19. "Hoje a noite foi terrível para todos nós", disse. 

Palermo fez a live direto da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Vila Prado. Ele relatou que passou a madrugada tentando auxiliar na transferência de pacientes em estado grave e vivenciou uma noite de terror. 

"Não há vagas nos hospitais, tive que pedir para abastecer oxigênio aqui na UPA agora a pouco porque não estava tendo sustentabilidade de oxigênio para esses pacientes. O oxigênio que gastamos hoje daria para uma semana", disse. 

De acordo com o secretário, em uma única noite foram sete pacientes com Covid-19 precisando de atendimento. Quatro deles precisaram aguardar a disponibilidade de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). 

"É muito triste essa situação. Dos sete pacientes que tivemos agora a noite, cinco eram idosos e dois eram da mesma família. Não importa se metade daqui ou não é, o que importa é que está tudo cheio e não tem lugar para colocar mais pessoas. Hoje pela manhã tinha uma mulher de 40 anos no Ginásio com os filhos na porta fazendo orações para que ela se recuperasse. Está insustentável", relatou.   

Leia mais: 

Em meio a polêmicas, São Carlos decide aplicar 2ª dose em profissionais investigados 

Prefeitura de São Carlos suspende vacinação em idosos por falta de doses

Desabafo 
Palermo aproveitou o desabafo para fazer um apelo aos moradores, principalmente os jovens e adultos. Ele alega que os hospitais públicos do município, o centro de atendimento no Ginásio Milton Olaio e as unidades privadas estão em superlotação. 

"Não é brincadeira, o vírus está aí e cada vez mais forte, nós estamos perdendo essa guerra para o vírus, perdendo muitas pessoas amadas, você vê os profissionais da saúde se desdobrando para poder reverter. Eu imploro: nos ajudem, tenham consciência. Muitas pessoas morrerão, não há como controlar a demanda de pacientes, não há como evitar a contaminação se não se cuidarem", disse. 

Um dos enfermeiros que atuam na unidade hospitalar também participou da transmissão e relatou que desde o início da pandemia, esse é o pior momento. A expectativa, segundo Velton, é que a situação piore nos próximos dias. 

"Estamos vivendo um caos, um cenário de guerra, a cada dia que passa a situação está ficando pior. A gente pede encarecidamente para vocês: não saiam de casa. Venham na unidade de saúde estiver extremamente grave, e se vier venha com apenas um acompanhante, coisas a toa como pressão, toma seu remédio e fica em casa porque corre um grande risco de chegar na unidade e se contaminar e ir a óbito por falta de condições de tratamento", desabafou. 

Situação em São Carlos
De acordo com o boletim enviado pela prefeitura na quarta-feira (3), a cidade está com a taxa de ocupação de UTI Covid para adultos em 87,5%. Três óbitos foram registrados em hospitais da cidade, sendo um são-carlense e dois pacientes de Ibaté (SP) e Araraquara (SP). 

Neste momento, 78 pessoas estão internadas em hospitais públicos ou privados. Destas, 45 adultos com resultado positivo e outras duas crianças na UTI. O município tem 142 óbitos e 10.545 casos positivos para Covid-19.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON