cotidiano

Especial coronavirus

Covid: Idoso acumula dívida de R$ 57 mil após internação em hospital particular

Arlindo Braghini contraiu doença no final de julho e ficou 13 dias intubado; família criou vaquinha para tentar quitar os débitos

| ACidadeON/São Carlos -

Família de idoso faz vaquinha virtual para quitar dívida de R$ 57 mil com hospital particular. Foto: Arquivo Pessoal

Familiares de um idoso de 69 anos de São Carlos (SP) criaram uma vaquinha virtual para quitar uma dívida de R$ 57 mil com um hospital particular. Ele contraiu Covid-19 e precisou ficar internado por cinco dias até conseguir transferência para uma unidade pública.

De acordo com a filha, Renata Braghini, o pai contraiu a doença em julho e buscou atendimento na rede pública. Ele chegou a passar mal e foi ao Milton Olaio, mas o exame foi negado porque seu teste anterior tinha dado negativo.

"Na UPA pediram para ele voltar para o Milton Olaio porque lá não era atendimento para Covid. Ficou um lugar jogando para o outro e, após meu irmão dizer que iria processá-los caso meu pai viesse a morrer por falta de atendimento, eles fizeram o exame", contou Renata Braghini ao G1.

Com medo do que pudesse acontecer, a família resolveu pagar uma consulta em um hospital particular, mas sem imaginar que ele teria uma piora tão rápida. "Ele foi para uma consulta, no dia seguinte ele tinha direito a um retorno e foi quando ele piorou. Ele voltou para o retorno e já ficou internado", explicou a mulher.

Arlindo foi intubado no hospital particular no dia 24 de julho e, cinco dias depois, conseguiu transferência para a UTI do Hospital Universitário (HU-UFSCar). A extubação aconteceu no dia 5 de agosto, e a alta hospitalar veio sete dias depois, no dia 12.

Campanha
Sem ter como arcar com os custos das diárias particulares do hospital, a família criou uma Vaquinha Online com o objetivo de arrecadar o valor. Atualmente, o idoso está se recuperando do pós-Covid, com auxílio de medicação e fisioterapia, já que ficou com dificuldade para se locomover.

Procurada, a prefeitura informou que não vai se manifestar sobre o assunto.

*Com informações de Ana Marin, do G1 São Carlos.

Mais notícias


Publicidade