Aguarde...

ACidadeON São Carlos

SÃO CARLOS
mín. 20ºC máx. 36ºC

Cotidiano

DDM vai investigar estupro de estudante durante festa universitária

Crime teria ocorrido no CaipirUSP, em São Carlos, na noite do dia 2 de novembro

| ACidadeON/São Carlos

A titular da DDM, Denise Gobbi Szakal (Amanda Rocha/ACidadeOn)
 

A Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de São Carlos (SP) vai investigar uma denúncia de estupro durante uma festa do evento universitário CaipirUSP, no dia 2 de novembro. A vítima e o suspeito são estudantes da Universidade de São Paulo (USP). As informações são do G1 São Carlos.

Em nota, a organização do CaipirUSP informou que repudia qualquer tipo de assédio e que colabora com a apuração dos fatos.  

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), o caso foi registrado em 7 de novembro na 1ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de São Paulo, que solicitou exame de corpo de delito à vítima. A secretaria não informou se o exame já foi feito.  

"A ocorrência foi encaminhada nesta quarta-feira (14) à Polícia Civil de São Carlos, para prosseguimento das investigações", informou.  

O crime, segundo a vítima, aconteceu na noite do dia 2 de novembro, em uma tenda de uma festa realizada em uma casa de eventos na Rodovia Washington Luís. A identidade do suspeito não foi divulgada.  

O CaipirUSP é um competição esportiva entre as Associações Atléticas Acadêmicas da Universidade de São Paulo e ocorreu pela quarta vez em São Carlos, entre os dias 2 e 4 de novembro. O evento também é marcado por shows e festas e recebeu cerca de 5 mil pessoas na cidade.  

Em nota divulgada no Facebook, o Coletivo Mulheres CAASO, informou que "caso se comprove estupro, o Coletivo de Mulheres CAASO vem, por meio desta nota, expressar veementemente repúdio ao ato do aluno e deixar claro que nos mobilizaremos para que o acusado sofra as consequências de seu ato, que é ser preso e expulso da Universidade", disse.  

A Associação Atlética Acadêmica da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (Each) USP divulgou nota informou que está "em contato com as demais atléticas e fazendo tudo que está a nossa disposição para punir os agressores, impedir que casos como esses se repitam e dar apoio às vítimas", informou.

A associação informou que um caso de assédio sexual também teria ocorrido durante a festa, mas a vítima optou por não registrar boletim de ocorrência.  

Disse ainda que se "compromete a continuar se empenhando no combate a opressões, abusos e assédios em torneios e eventos nossos, fazendo o possível para que os criminosos devidamente identificados pelas vítimas não frequentem nenhum dos eventos organizados pelas atléticas envolvidas no CaipirUSP e pelas demais entidades da EACH".  

A Associação Atlética Acadêmica do Campus de São Carlos do Centro Acadêmico Armando de Salles Oliveira (Caaso) da USP divulgou carta falando sobre o recebimento de denúncias.  

"A Comissão Anti - Opressão do torneio recebeu duas denúncias de crime, sendo um caso de estupro cometido por um aluno identificado como sendo da USP São Carlos na tenda de sexta-feira (02/11) e um caso de assédio no sábado (03/11). O agressor de sábado não foi identificado o de sexta foi identificado no dia seguinte, já sendo garantido que ele não entrasse no evento do segundo dia", informou.

"Após tomar conhecimento do caso, a Atlética CAASO está fazendo o possível para dar o suporte necessário às vítimas e punir o agressor. (...) A Atlética não tolera desrespeito, opressão e agressão e se compromete a continuar os trabalhos de combater opressões em torneios e eventos nossos, sendo que faremos o possível para que o criminoso devidamente identificado pela vítima não frequente nenhum dos eventos organizados pela nossa Atlética", informou na carta.