Aguarde...

ACidadeON São Carlos

SÃO CARLOS
mín. 20ºC máx. 36ºC

Cotidiano

Homem que matou a mulher e a enteada tem prisão preventiva decretada

Renato Barufa do Carmo estava preso de forma temporária no Centro de Triagem de São Carlos e será transferido para a Penitenciária de Araraquara

| ACidadeON/São Carlos

Renato Barufa do Carmo confessou o crime após ser preso nesta terça-feira (12)

Um homem que matou a mulher e a enteada em uma casa no Prolongamento do Jardim Medeiros, em São Carlos, no dia 5 de fevereiro, teve o pedido de prisão preventiva decretado pela Justiça. Renato Barufa do Carmo, de 37 anos, estava preso de forma temporária no Centro de Triagem da cidade e foi transferido à Penitenciária de Araraquara na terça-feira (12).  

De acordo com o delegado da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), Gilberto de Aquino, o suspeito irá responder por duplo homicídio qualificado e feminicídio por ter matado Marisa Cristina Borges Ernesto, de 40 anos, e a adolescente Larissa Cristina Ernesto, de 18 anos.  

Assassinatos de mãe e filha causou comoção nas redes sociais

O crime   

O suspeito afirmou aos policiais que, no dia 3 de fevereiro, teve uma discussão com a Marisa porque estava desconfiado que ela estava o traindo com outro homem. Na madrugada da terça-feira passada, dia 5 de fevereiro, após fazer uso de crack, ele teria ido até a casa onde estavam a mãe a filha e as matou com golpes de faca. "A Marisa, com quem ele tem uma filha de 8 anos, recebeu cinco golpes no pescoço. Ela não tem mais ferimento em nenhuma outra região do corpo, então ele pode ter matado quando ela estava dormindo. Eu acredito que primeiro ele matou a mãe e, na sequência, ele foi para cima da filha. A filha tentou se defender, ela tem ferimentos de defesa em ambos os braços, segundo o médico legista, e três ferimentos no pescoço. Ou seja, ele pegou a faca e também cortou o pescoço da menina", explicou o delegado titular da DIG, Gilberto de Aquino.  

Após matar as duas mulheres, Renato afirmou ao delegado que foi até o quarto onde estava a filha dele e a levou até a casa da avó, a mãe do suspeito. Em seguida, ele ficou morando na casa da mãe por uma semana sem contar o que havia acontecido.  

Neste período, Renato teria voltado algumas vezes na casa onde matou as mulheres para alimentar o cachorro da família. Então, somente no dia 12 de fevereiro, Renato contou que havia matado a mulher e a enteada para os familiares. A mãe dele foi até a casa onde estavam os corpos e, na sequência, chamou a Polícia Militar.  

De acordo com o delegado, o suspeito, que morava há 9 anos com a mulher e a enteada, não demonstrou arrependimento pelo crime. "Ele fala que não sabe, que usou drogas e não tinha a intenção de fazer. Ele merece ficar preso, não sou juiz, mas é um crime extremamente cruel, tem que ficar preso. Apesar de ele alegar que fez porque fez uso de entorpecente, se todo viciado resolver sair matando a sociedade, nós estamos realmente perdidos", afirmou Aquino.