Aguarde...

cotidiano

Delegado diz saber quem matou prefeito Chiquinho Campaner

Investigação avança e desconstrói versão de inocência dada por empresário no início da semana.

| ACidadeON/São Carlos

Delegado comenta desdobramento das investigações - Foto: ACidade ON São Carlos

A Polícia Civil de São Carlos, em coletiva realizada na manhã desta terça-feira (7), disse que desconstruiu a versão do empresário Manuel Bento Santana da Cruz, que negou sua participação no assassinato do prefeito Chiquinho Campaner, de Ribeirão Bonito.  

A principal dúvida estava relacionada a quem teria atirado contra a vítima. O delegado Geraldo Souza Filho garantiu que a polícia sabe quem atirou, mas ainda não pode divulgar a informação.  

"Quem apertou o gatilho, nós vamos nos reservar mais uns dias para dizer quem foi. Nós já sabemos, mas não é o momento de veicular essa informação. Como o empresário engou os fatos, cabe a nós desmontar essa história. Ele [Manuel] tem todo o direito de falar o que ele quiser, de mentir, enfim", salientou o delegado.   

Confira a entrevista 



Durante a coletiva foi dito que a polícia passou a última segunda-feira (6) coletando informações em cidades da região que levam à desconstrução da versão dada pelo empresário. "Agora nós faremos a reconstrução do crime", acrescentou Geraldo.  

O delegado também falou que várias irregularidades foram constatadas acerca da Prefeitura Municipal de Ribeirão Bonito, entre elas estavam licitação que deveriam ser feitas, mas não foram, contratos verbais, entre outras. Entretanto, essas irregularidades devem ser apuradas através de outro inquérito.  

Mias envolvidos  


Na oportunidade, Geraldo relatou que apenas Cícero e Manuel participara da ação que resultou no assassinato de Chiquinho Campaner, mas que a investigação ainda apura envolvimento de outra pessoa.  

"Que os dois [Cícero e Manuel] estavam lá, não há dúvidas mais. Que os dois participaram, isso também não há mais dúvidas. Nós temos que verificar outros detalhes, ouvir outras testemunhas", finalizou.  

Quem matou Chiquinho?   

Suspeito de matar prefeito de Ribeirão Bonito é apresentado na DIG de São Carlos. Foto: Claudinei Junior/CBN São Carlos


De acordo com a advogada do vigilante Cícero Alves Peixoto, seu cliente foi convidado por Manuel para ajudá-lo em uma vingança contra um servidor público.  

"Ele [Cícero] só foi saber que se tratava do prefeito quando retornou para sua casa. O Manuel disse que se tratava de um funcionário da prefeitura que teria cortado o serviço deles", explicou a advogada Fabiana Carlino Luchesi.  

Fabiana ainda reforça a versão do vigilante de que ele teria sido convidado pelo empresário para ajudá-lo na vingança. No caso, Cícero foi quem dirigiu o carro para que o então amigo Manuel executasse o assassinato.  

Ela ainda disse que seu cliente não recebeu qualquer quantia em dinheiro, ele apenas teria recebido R$ 300 em outra oportunidade para custear a viagem da capital para o interior.  

Cícero foi detido em sua casa no Capão Redondo, em São Paulo, de onde seguiu preso para São Carlos. Ele prestou depoimento para a Polícia Civil, onde reforçou os dados apresentados acima.  

Versão do empresário  

DIG de São Carlos - Foto: ACidade ON São Carlos

Em contrapartida, o empresário suspeito de participar do assassinado de Chiquinho Campaner negou envolvimento no crime. Manuel Bento Santana da Cruz se entregou à polícia na noite da última sexta-feira (3).  

De acordo com o advogado do empresário, ele estava em viagem quando tomou conhecimento sobre o mandado de prisão. "Ele tem contratos de trabalho com prefeituras de várias cidades, mas quando ficou sabendo do mandado, decidiu se entregar para esclarecer os fatos tanto quanto a polícia. Ele não deve nada", disse o advogado José Roberto Garcia.  

O advogado confirmou que seu cliente conhecia o vigilante Cícero, mas garantiu que não existe qualquer laço de amizade entre os dois.  

Provas de ameaças  

O portal ACidade ON teve acesso a um áudio onde há uma suposta ligação entre o suspeito e o prefeito Chiquinho Campaner (PSDB) e que circula em aplicativos de mensagens. Segundo o delegado, "o áudio está ligado diretamente ao delito".   



O Caso  

O prefeito Francisco Campaner (PSDB) foi assassinado com quatro tiros na tarde no dia 26 de dezembro, em uma estrada de terra na zona rural do município de Ribeirão Bonito.  

O chefe do gabinete, Edmo Gonçalo Marchetti, e o amigo Ary Santa Rosa, também foram baleados, mas estão bem.  



Mais do ACidade ON