Aguarde...

cotidiano

Casos de estupro de vulnerável crescem 166% em São Carlos

Aumento foi registrado entre janeiro e abril de 2020 em relação ao mesmo período do ano passado. Polícia afirma que isso é reflexo da maior quantidade denúncias

| ACidadeON/São Carlos

Estupro de vulnerável caiu no comparativo entre os anos (Foto: Renan Lopes/ACidade ON Campinas)
 

São Carlos registrou um aumento de mais de 166% nos casos de estupro de vulnerável de janeiro até abril de 2020, se comparado com o mesmo período de 2019. Nos primeiros quatro meses do ano passado apenas três ocorrências foram registradas. Em 2020, o número saltou para oito. Os dados foram divulgados pela secretaria de segurança pública de São Paulo.  

O sociólogo e especialista em segurança pública, Gabriel Feltran, afirma que esses casos ocorrem geralmente dentro de casa. Feltran diz ainda que em cenários de crise os números podem crescer. "Teria que estudar cada caso para entender o que aconteceu. Mas normalmente a gente está falando de casos relacionados a violência doméstica, que estão também relacionados a violência de gênero, e que estão quase sempre relacionados a distúrbios de saúde mental, ou alcoolismo, ou desemprego ou alguma situação particular doméstica", explicou.  

Capitão da PM de São Carlos, Renato Gonzalez

De acordo com o capitão da Polícia Militar, Renato Gonzalez, o aumento nos casos de estupros de vulnerável está ligado ao aumento das denúncias. "Na verdade, a gente acredita que a coragem dos próprios familiares em identificar a mudança de comportamento nas crianças e em denunciar tem colaborado muito com esse aumento. É um trabalho de difícil prevenção para a polícia, mas o papel da família é realmente muito importante em estar acompanhando a criança", disse. 

Para fazer uma denúncia ou boletim de ocorrência de estupro ou violência, pode comparecer em qualquer delegacia ou nas unidades policiais especializadas em defesa da mulher. Ou ainda ligue para a central de atendimento à mulher pelo telefone 180.  

Os roubos de veículos também aumentaram em São Carlos na comparação dos primeiros quadrimestres de 2020 e 2019. Foram 9 roubos no ano passado contra 19 nos meses de janeiro, fevereiro, março e abril de 2020. Um crescimento de mais de 111%  

O capitão da PM, Renato Gonzalez, explicou que no início do ano uma quadrilha agia na cidade praticando roubos, mas que o grupo já foi desmantelado. "Havia algumas quadrilhas que estavam efetuando alguns roubos a residência e eles levavam os veículos. Os veículos dos roubos geralmente são abandonados e a gente acabou recuperando boa parte deles. A partir do momento que a gente conseguiu prender a quadrilha, houve a redução dos indicadores", afirmou.  

Segundo o sociólogo Gabriel Feltran, em crimes mais violentos, como os roubos, existe o aliciamento de menores e que no caso dos roubos de veículos, os cascos e motos abastecem um mercado ilegal. "Quando se rouba veículos usando de violência, quase nós estamos falando de adolescentes e jovens que são subcontratados por pessoas mais experientes no mundo do crime para assumir uma ação mais violenta. Os roubos, portanto, são voltados para mercados, seja de desmanche de autopeças ou de revenda de veículos, após adulteração", disse.  

O sociólogo pontua que para além da prisão de criminosos é necessário acabar com a demanda de mercado para que então os índices de roubos diminuam.  



Mais do ACidade ON