Aguarde...

Economia

Oficinas mecânicas registram diminuição de clientes em São Carlos

Mesmo autorizados para trabalhar segundo decreto, empresários relatam queda de serviços e orçamentos

| ACidadeON/São Carlos

Oficinas mecânicas registram diminuição de clientes em São Carlos. Foto: Imagem ilustrativa
Entre as restrições de funcionamento impostas ao comércio para conter a transmissão de coronavírus em São Carlos (SP), as oficinas mecânicas possuem autorização para continuar funcionando, mas muitas já sentiram o impacto na diminuição de clientes.  

O cenário atual não é dos melhores. O vírus está contagiando rapidamente e muitos municípios estão proibindo empresas e prestadores de serviços de trabalhar.  

Mesmo com a permissão concedida, a oficina do empresário Gean Carlos Antônio está com uma grande queda de cliente e serviço. "Está tudo parado, estamos trabalhando com o serviço que tinha para terminar, mas não temos mais nada", contou ele.  

A mesma realidade é vista na oficina mecânica do mecânico Sidney Soares de Oliveira Neto, que já existe há 19 anos e nunca passou por uma situação como essa. "Teve uma grande queda, a gente está bem parado. Não está tendo serviço nenhum. Igual está desta vez, eu nunca vi não", disse. 

Para garantir a segurança de quem mexe no carro e a saúde de seus clientes nesse período de coronavírus, o comerciante adotou diversos procedimentos de higiene.  

"A gente deixa o álcool em gel aqui no balcão, usa bastante álcool para entrar e sair do carro, higieniza o carro. Temos um microfilme que passamos no volante, na manopla e onde se tem mais contato com as mãos, para evitar o contato com as peças onde outras pessoas possam ter tocado ou mesmo nós", explicou.  

Perspectivas
Por conta da queda de clientes e demandas, o comerciante Tiago Amaro da Silva terá que tomar medidas mais drásticas: reduzir ainda mais a equipe para conseguir arcar com as despesas.  

"Analisando o quadro e a situação, nas últimas semanas já tivemos uma grande queda na procura por serviços e orçamentos que geralmente teríamos. Acredito que isso é decorrente pelo fluxo de carros, mas a gente vai tocando enquanto isso", comentou.  

Segundo ele, tudo depende de como será o faturamento nos próximos meses e de quanto tempo deve durar a pandemia. "Minha perspectiva é de que provavelmente nas próximas semanas meu fluxo vai cair. Tenho uma equipe pequena, mas vou ter que fazer cortes de funcionários para poder me adaptar, conversar com fornecedores e com a pessoa que pago aluguel. Vamos enfrentar dois meses em um quadro negativo, de uma perca de mais ou menos 50%", concluiu o mecânico.

Mais do ACidade ON