Publicidade

economia

Cade efetiva negócio entre os grupos Savegnago e Peralta

Após prazo para recurso, contrato de compra da rede Paulistão Supermercados pelo Savegnago e transferência do Passeio para o grupo Peralta passa a valer

| ACidadeON/São Carlos -

Negócio foi sacramentado pelo Cade (Foto: Divulgação / Passeio São Carlos)
O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) encerrou o processo em que avaliou o negócio entre os grupos Savegnago e Peralta. A decisão foi publicada na última sexta-feira (19) e sacramenta o acordo entre as duas companhias.

A chancela final ao negócio ocorre após prazo de contestação. Não houve ingresso de recursos em oposição à dupla aquisição. No contrato apresentado ao órgão antitruste, o Savegnago propôs entregar ao Peralta o Shopping Passeio São Carlos, em troca da aquisição da rede Paulistão Supermercado. No repasse de ativos, 14 lojas do supermercado passarão para a marca Savegnago.

Os valores do contrato estão cobertos por sigilo. Sediado em Sertãozinho, o conglomerado tem portfólio diversificado. Além da rede supermercadista com 50 lojas, sustenta comércio online, postos de combustíveis, cinema, administração de cartões e desenvolvimento imobiliário. A operação de shopping center, no caso o Passeio São Carlos, deixará a holding.

Já o grupo Peralta, além das 28 lojas de supermercado (metade irá para o Savegnago), os controladores da companhia mantêm concessionárias, incorporação imobiliária e publicidade. O ramo de shoppings centers mantém empreendimentos em Mauá, no ABC Paulista, e Praia Grande, litoral. Na baixada, a holding constrói novo centro de compras em Santos.

Foco nas operações-chave
Os dois grupos veem no negócio a possibilidade de se concentrar em operações que têm mais afinidade e possibilitar ganho de escala.

Com a ida do Passeio São Carlos para o grupo Peralta, o conglomerado perde parte importante de sua rede supermercadista e finca mais um pé na administração de shoppings.

Já o Savegnago tem a possibilidade de aumentar ainda mais sua área de atuação, com cinco novas cidades e ganha mais força em Campinas, o terceiro maior município paulista. O grupo sertanezino projeta desembolsar R$ 100 milhões para converter as 14 lojas do Paulistão para a sua marca.

Mais notícias


Publicidade