Publicidade

economia

Concurso para Censo 2022 recebe 1,1 milhão de inscritos, diz IBGE

O concurso tem potencial para reduzir ligeiramente e apenas momentaneamente a taxa de desemprego no País, afirma pesquisador da FGV

| Estadao Conteudo -

Vagas do IBGE são para diferentes funções ligadas ao Censo 2022 (Foto: Divulgação)
O concurso para as mais de 200 mil vagas temporárias de recenseadores e agentes censitários do Censo Demográfico 2022 recebeu mais de um 1,100 milhão de candidatos inscritos, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). As inscrições se encerraram às 16 horas desta sexta-feira, 21.

O processo seletivo oferece 183.021 vagas para recenseador, que exigem ensino fundamental completo e proporcionam remuneração por produção. O concurso prevê também 18.420 vagas de agente censitário supervisor (ACS) e 5.450 de agente censitário municipal (ACM), que exigem ensino médio completo, com salários de R$ 1.700 e R$ 2.100, respectivamente. Os recenseadores são os responsáveis pela coleta de informações nos domicílios, enquanto os agentes censitários orientam e supervisionam o trabalho de campo.

Ao todo, 1.101.911 pessoas se inscreveram no processo seletivo, sendo 513.459 candidatos às vagas de agentes censitários e 588 452 às oportunidades como recenseadores. A confirmação das inscrições ainda depende do pagamento da taxa pelos candidatos, que tem vencimento em 16 de fevereiro. Segundo o IBGE, o processo seletivo recebeu 215.772 inscritos na última semana, sendo 67.565 deles somente nesta sexta, o último dia.

O concurso tem potencial para reduzir ligeiramente e apenas momentaneamente a taxa de desemprego no País, avaliou Rodolpho Tobler, pesquisador do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV).

"Minha percepção é que de fato esse é um concurso muito grande, que tem um poder para mexer na taxa de desemprego. Só que por mais que sejam 200 mil vagas, a gente tem hoje quase 13 milhões de pessoas desocupadas. Tem uma grande quantidade de pessoas fora do mercado de trabalho, então não vai ser um impacto tão grande, a ponto de mexer de uma maneira significativa na taxa de desemprego. Até porque são vagas temporárias, de alguns meses apenas. O concurso pode mexer um pouquinho na taxa de desemprego, mas acredito que vá só trazer uma oscilação dessa taxa de desemprego em 2022", estimou Tobler.

Segundo Bruno Malheiros, coordenador de Recursos Humanos do IBGE, o cronograma de seleção dos candidatos permitirá que os trabalhadores temporários sejam treinados a tempo de iniciar a coleta de informações em campo até, no máximo, agosto. O resultado da seleção será publicado em 20 de maio, e a convocação e contratação para os primeiros treinamentos devem ocorrer entre 25 e 30 de maio.

"A data do censo ainda está sendo discutida pelo Conselho Diretor. Está em discussão se o Censo começa em julho ou se começa em agosto. Essa informação deve ser divulgada nos próximos dias, acredito que na semana que vem", contou Malheiros

O número de inscritos alcançou as expectativas do IBGE, que esperava atrair um milhão de interessados nas oportunidades de trabalho temporário distribuídas por 5.297 municípios brasileiros. As inscrições, que deveriam ter se encerrado em dezembro, já tinham sido prorrogadas por não receberem interessados na quantidade necessária para o preenchimento de todas as vagas.

"Foram dois processos cancelados, cria certa angústia nos candidatos. Ele fica com medo de se inscrever e não haver o censo. A gente também teve dificuldade por abrir processo seletivo em dezembro. É um mês muito ruim, primeiro que tem uma série de pessoas em trabalhos temporários que eventualmente teriam interesse, mas não se inscrevem porque estão trabalhando. Também tem os feriados de Natal e Ano Novo. Apesar de tudo, a gente conseguiu superar a nossa meta, que era um milhão de inscritos", comemorou Malheiros.

O coordenador do IBGE explicou que é esperado que não haja interessados para todas as áreas disponíveis, como ocorreu em edições anteriores dos Censos Demográfico e Agropecuário, mas que o instituto dispõe de mecanismos para preencher essas vagas restantes. Nesse caso, o órgão convoca trabalhadores já habilitados para atuar nos municípios mais próximos ao local que não atraiu candidatos. Se ainda não conseguir os agentes necessários, o instituto abre um processo seletivo apenas para o local em questão, sem prova de seleção, apenas avaliação de títulos. Na edição de 2022, houve menor procura, principalmente, em algumas áreas de Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul.

"São os três estados que a gente teve mais dificuldade. É muito comum que a gente tenha dificuldade no Sul, porque a gente tem uma quantidade de pessoas mais empregadas (na região), olhando pela Pnad (Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios Contínua)", justificou Malheiros.

Realizado a cada dez anos, o Censo Demográfico visita todos os cerca de 71 milhões de lares brasileiros. O concurso atual é o terceiro aberto pelo IBGE para seleção de trabalhadores temporários que atuarão no Censo Demográfico de 2022. O levantamento deveria ter ido a campo em 2020, mas acabou adiado por causa da pandemia de covid-19, e o concurso instaurado à época foi cancelado. O órgão estatístico tentou levar a campo o Censo em 2021, mas não obteve a verba necessária no Orçamento federal, fazendo com que o segundo processo seletivo também acabasse cancelado. Após determinação pelo Supremo Tribunal Federal que o governo federal levasse a campo o censo, o levantamento estatístico foi novamente marcado, desta vez para meados de 2022.

Segundo o coordenador de Recursos Humanos do IBGE, o valor das inscrições efetivadas para o primeiro concurso já foi devolvido. A devolução dos recursos das inscrições de quem pagou a taxa para participar do segundo concurso ainda está em andamento.

Mais notícias


Publicidade